Segunda feira, 09 de dezembro de 2019 Edição nº 14805 23/08/2017  










LEITORAnterior | Índice | Próxima

Todeschini

Com o objetivo de esclarecer fatos importantes, uma das maiores fabricantes de móveis planejados da América Latina, a Todeschini S.A., com sede na cidade de Bento Gonçalves - RS, informa que não tem nenhum tipo de relação ou ligação, nem mesmo seus sócios, com a empresa de nome homônimo Todeschini Construções e Terraplanagem Ltda., que está sendo alvo de investigação da Polícia Federal na Operação Descarrilhos. A Todeschini S.A., empresa com 78 anos de existência, se orgulha de ter uma trajetória consolidada com base forte no trabalho desenvolvido com transparência, no pioneirismo, na solidez, na confiança e na credibilidade. Por tanto, reforça seu apoio a qualquer ação que guie o Brasil para um futuro mais ético, honesto e justo para os brasileiros.

TODESCHINI S.A., Bento Gonçalves (RS)



Desejo é de 'simplificação tributária' neste trimestre

Pois é, "seu" Temer; perdão: Sr. Presidente, já estou cansado de repetir minha visão/versão sobre reforma tributária, agora apelidada de"revisão". Na verdade, uma reforma, qualquer que seja, precisa, necessariamente, passar antes por uma revisão para se detectar o que, realmente, precisa ser reformado, mudado e/ou excluído. Tenho escrito, neste mesmo espaço, da Vossa inocência - despreparo ou má fé? - sobre o assunto. Responda-me, por favor, por que não se fala em restabelecer a CPMF? É brincadeira! V. Exa. e sua gabaritada equipe econômica não sabe e/ou não se lembra que, só no último ano de sua vigência - 2007 - foram arrecadados R$ 37.2 bilhões de reais, equivalente, hoje, a mais de R$ 50.0 bilhões? Seria pena dos contribuintes, via consumo? Ora, se uma contribuição de 0,3% (?!), repassada em cadeia, não chegaria, nunca, a 1,00% e, além do mais, as pessoas de baixa renda não têm contas bancárias. Essa forma de enrolação nada mais é do que defesa de interesse próprio, de seus parceiros do Legislativo e Executivo e, principalmente, dos detentores do "Poder" máximo do país, o "Econômico", sem falar no dinheiro da "bandidagem" - onde se incluem, ou eu incluo, os sonegadores - apontada por uma Lava-Jata e similares. Pode-se criar uma CPMF, resguardando-se rendimentos de, por exemplo, até 05 salários mínimos e, como justiça, isentando os professores que lecionam. Que tal? Muito difícil? Faça isso e a população votante e não votante irá aplaudi-lo, principalmente pelo foco dessa Receita: a Saúde. Os poderosos, bem, esses, V.Exa., que diz estar encerrando a carreira política, não precisará mais deles e, também, uma vez fora da política não lhes trará interesse nenhum em "gratifica-lo". Que tal se pensasse nisso... e praticasse!

JOÃO GALDINO DE MEDEIROS, Economista, Cuiabá/MT

jgaldinomedeiros@hotmail.com



STF nega indenização para Mato Grosso

No caso dos quilombolas é só, ler o artigo 68, das disposições transitórias da constituição federal de 1988, que fica tudo muito claro. “aos remanescentes das comunidades dos quilombos que estejam ocupando suas terras é reconhecida a propriedade definitiva devendo o estado emitir-lhes os títulos respectivos”. Isso significa que estiverem ocupando naquela data 1988. Ocupações posteriores, ou tentativas, não tem legitimidade. O resto é conversa para boi dormir.

ACIR CARLOS OCHOVE, Cuiabá/MT

ochove@terra.com.br



Temer autoriza Forças Armadas no Rio

é um combate com as forças armadas. Só esperamos que a imprensa e os direitos humanos não apareçam do lado de lá. As forças armadas foram treinadas para combate em terra, no ar e no mar. Desejamos sucesso aos nossos heróis e que cumpram com seu dever de limpar o estado do Rio de Janeiro. A etapa seguinte será impedir os corruptos de ocuparem qualquer cargo publico no nosso País.

JOSÉ SANTOS VAZ, Várzea Grande/MT



A febre das farmácias

E o que menos tem nelas é remédio.

JOSÉ LUIS MARAN CUIABANO, Representante Comercial,

rodocuiaba@hotmail.com



Governo está usando recursos dos depósitos judicias

Esse dinheiro não é do estado nem do judiciário, como podem pegar dinheiro de pessoas envolvidas em pendengas judiciais? Isso é uma barbaridade, um roubo, passar a administração do dinheiro de depósitos judiciais para os estados foi um crime contra o povo.

LEONARDO ALVARENGA, Cuiabá/MT

leonardo.alvarenga@hotmail.com



Centro histórico ganhará uma ‘cara nova’

Seria interessante fazer o rebaixamento subterrâneo de toda fiação, elétrica, tv por assinatura, telefônica etc. Pois a situação atual é muito crítica com essa poluição visual de todo centro Histórico, também deveria transformar algumas ruas em calçadões e policiamento permanente, inclusive á noite, elaboração e padronização das placas de fachadas das lojas do comercio, enfim humanizar este local tão importante da nossa história.

JOSE LUIZ RIBEIRO, Funcionário Federal, Cuiabá/MT

jose-luiz.ribeiro@serpro.gov.br



Emanuel e os pardais

Discordo totalmente do ponto de vista. Primeiro o prefeito não quer multar os motoristas de Cuiabá, mas sim punir infratores conforme as leis. Já sobre a chamada indústria da multa, o que realmente ocorre é a indústria da impunidade. Para comprovar é só ficar 15 minutos em alguma via com movimento, contar o número de infrações nesse período e confrontar com as multas emitidas. Se não quer ser multado, faça como eu: conheça e respeite as leis de trânsito. Parafraseando o personagem citado: Xô impunidade. Xô violência no trânsito

LUIZ AUGUSTO VICTORINO ALVES CORRÊA, Administrador, Cuiabá/MT

luiz.alves.correa@gmail.com



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:10 MP quer que Selma continue em processo contra Faiad
19:10 TJ nega liminar que impedia transferência de militares
19:09 Vereador diz que 13º salário agora é algo inoportuno
19:09 Cinco aeroportos de MT serão privatizados
19:09 Líder do Governo questiona delação de Silval Barbosa


19:08 PEC do Teto dos Gastos chega a Assembleia
19:07 Recuperação será vista no emprego, diz Meirelles
19:07 Novo acesso às contas vai beneficiar 8 mi de pessoas
19:06 Aeroportos de Mato Grosso completam parte do ‘pacote’
19:06 Com inflação baixa, mercado fala em Selic na casa dos 6%
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018