Quarta feira, 24 de julho de 2019 Edição nº 14760 22/06/2017  










RGAAnterior | Índice | Próxima

Taques elogia ‘maturidade’ na negociação

Acordo entre Governo e Fórum Sindical deve ser finalizado hoje; o substitutivo do projeto de lei que trata da RGA deve ir para AL na próxima semana

GCOM
Taques durante solenidade ontem no Paiaguás elogiou a maturidade na negociação dos servidores com o governo
PABLO RODRIGO
Da Reportagem

Com os avanços nas negociações em relação ao pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) de 2017 e 2018, o governador Pedro Taques (PSDB) destacou o que chamou de “maturidade” nas conversas entre a sua equipe econômica e o Fórum Sindical - Instância que representa 33 sindicatos e associações do funcionalismo público de Mato Grosso -, que descartou a possibilidade de se iniciar uma nova “greve geral” como ocorreu em 2016.

"Isso mostra maturidade nas negociações. Nós entendemos os servidores em seus anseios, eles estão compreendendo o momento em que vivemos e nós continuamos buscando meios para resolver a questão da RGA. O tão famoso RGA", disse o governador Pedro Taques nesta quarta-feira (21) durante a assinatura de convênios com a Organização das Ações Unidas (ONU) e a Empresa de Planejamento de Logística do Governo Federal (EPL) com a Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra).

Taques também elogiou o trabalho de negociação de sua equipe econômica. "Isso é um importante trabalho do chefe da Casa Civil José Adolfo, do secretário de Fazenda Gustavo Oliveira e do secretário de Planejamento Guilherme Muller. Junto com os deputados da Assembleia", afirmou Taques.

O Governo do Estado deve encaminhar na próxima semana o substitutivo do projeto de lei que trata sobre o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) de 2017 e 2018, os quais se referem ao exercício de 2016 e 2017, respectivamente. A minuta da mensagem será fechada hoje, quinta-feira (29), durante reunião com representantes do Fórum Sindical.

“Os números referentes ao RGA de 2016, que é pago em 2017, e de 2017, que é pago em 2018 já foram fechados, já houve um acordo entre o Governo e o Fórum. Vamos agora continuar o debate sobre o pagamento da perda salarial que houve em decorrência do escalonamento do pagamento dos RGAs de 2015, 2016 e 2017. Após isso fecharemos o acordo e encaminharemos um substitutivo para apreciação da Assembleia Legislativa”, explicou o secretário-chefe da Casa Civil, José Adolpho Vieira.

A equipe econômica do Estado analisa três formas de pagar essas perdas. A primeira delas é um abono salarial que seria pago em dezembro de 2018, antes do governador Pedro Taques (PSDB) deixar o comando do Palácio Paiaguás.

Outra se refere a um percentual de ganho real a ser incorporado no salário, também a partir de dezembro de 2018, o que diluiria a perda salarial com o parcelamento dos RGAs no decorrer do tempo.

Já a terceira seria conceder parte da perda em abono e parte com reajuste salarial.

“Eles gostariam que essas perdas fossem quitadas dentro do ano de 2018, mas por parte do Governo nós não seriamos irresponsáveis de fechar uma proposta que nós não teríamos certeza que conseguiríamos concretizar. Então, vamos fechar os números para ver de que forma podemos fazer isso. Esses três cenários estão sendo analisados pela equipe econômica”, pontuou o secretário.

Os avanços nas negociações fizeram com que o Fórum Sindical descarte a possibilidade de vir a promover greve geral. A medida foi deliberada nesta terça-feira (20) durante Assembleia Geral Unificada.

“Entendemos que houve avanço no diálogo com o governo e por enquanto descartamos a greve que é a última instância a ser recorrida”, afirma o presidente do Fórum Sindical, Oscarlino Alvez.

No que tange ao pagamento da RGA de 2017, ficou definido os servidores públicos deverão ter uma reposição de 6,58%, conforme o Índice Nacional de Pesquisa ao Consumidor (INPC). Este percentual será pago em três parcelas, sendo que a primeira será lançada na folha salarial de novembro, a ser paga no dia 10 de dezembro deste ano.

Na proposta inicial, o percentual seria incluído na folha de janeiro de 2018. As outras duas parcelas, previstas para abril e setembro de 2019, poderão ser antecipadas conforme o comportamento da arrecadação própria do Executivo.

Se a receita do segundo semestre de 2017 tiver incremento de 10% em relação à lei orçamentária, a parcela de abril será antecipada para março. E no caso de a arrecadação registrar crescimento de 15%, a parcela de setembro será adiantada para maio.

Além disso, os percentuais das três parcelas também foram ajustados, sendo duas para 2,19% e a terceira para 2,20% atendendo à solicitação do Fórum Sindical.

Já a RGA de 2018, estimada pelo Governo em 4,19%, será paga em duas parcelas no próximo ano. A primeira, de 2%, em outubro e a segunda, de 2,19%, em dezembro. Pela proposta anterior apresentada pelo Executivo, as parcelas seriam pagas em janeiro e março de 2019.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:00 Réus entram na Justiça pedindo anulação de investigações
18:00 Cuiabá faz seletivo para mais 4,6 mil empregos; salários chegam a R$ 3,2 mil
17:59 Mulher morre e quatro ficam feridos após carro capotar
17:58 Dupla é presa suspeita de extorsão e roubo contra homossexuais
17:58 Homem é preso em flagrante com 15 tabletes de maconha


17:57 Civil prende sete suspeitos de ataque à Base da PM
17:56 BOA DISSONANTE
17:55 "É uma defesa do cidadão", diz Toffoli, em Cuiabá sobre suspensão de investigações
17:44 Tentativa de calar a advocacia
17:40 Mercosul e a diplomacia cultural
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018