Sexta feira, 24 de maio de 2019 Edição nº 14760 22/06/2017  










CONSTRUÇÃOAnterior | Índice | Próxima

Investimentos recuam 54% em 2015

MARIANNA PERES
Da Editoria com Agência Estado

O valor das incorporações, obras e serviços realizados pelas empresas de construção ativas em Mato Grosso recuou mais de 54% na comparação com os totais investidos em 2015 ante 2014. No país houve retração no desembolso de recursos no mesmo período, mas a queda foi de 16,5%.

Conforme dados divulgados ontem pelo IBGE, por meio da Pesquisa Anual da Indústria da Construção (Paic) referente a 2015, os investimentos em 2015, no Estado, somaram R$ 5,23 bilhões contra R$ 11,60 bilhões em 2014, perda anual de mais de R$ 6,36 bilhões em recursos.

Apesar da retração nos investimentos, o número de empresas ativas aumentou em 2015, passando a 1.237 ante 1.165 no ano anterior. O número de pessoas ocupadas no segmento também teve diminuição representativa, passando de 77.845 para 29.116 trabalhadores.

Ainda conforme a pesquisa – que em sua maior parte traz dados do país - o valor das incorporações, obras e serviços realizados pelas empresas de construção, no Brasil, somaram R$ 354,4 bilhões em 2015, queda de 16,5% em termos reais na comparação com o ano anterior. No mesmo período, a receita operacional líquida do setor recuou, também em termos reais, 18,7%, para R$ 323,9 bilhões.

O segmento de construção de edifícios se manteve como o que mais contribuiu para o valor corrente das incorporações, obras e serviços realizados, com R$ 165,7 bilhões, ou 46,7% do total em 2015.

Em seguida, vêm obras de infraestrutura, com fatia de 33,9% em 2015, equivalente a R$ 119,9 bilhões. A fatia é inferior ao padrão de 2013 (40,2%) e 2014 (38,3%), quando os efeitos da Operação Lava Jato e da recessão ainda não tinham atingido em cheio o setor da construção.

Já o setor de serviços especializados para construção ganhou participação. Com R$ 68,7 bilhões, ficou com uma fatia de 19,4% do total em 2015, acima dos 17,9% de 2014.

VAGAS – Assim como em Mato Grosso, apesar do crescimento do número de empresas ativas na indústria da construção entre 2014 e 2015, 500 mil vagas de trabalho foram cortadas, ainda no primeiro ano de recessão na economia, segundo o IBGE.

O número de empresas ativas encerrou 2015 em 131.487, contra 128 012 em 2014. Em 2014, o total de empresas empregava 2,9 milhões. Em 2015, empregou 2,4 milhões de trabalhadores.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:33 Estado reduz pauta do ICMS para algumas culturas de MT
20:33 Dólar sobe 0,26% e chega ao maior nível em mais de um mês
20:32 Novas ações de apoio a MT serão realizadas nesse mês
20:32 Confiança do empresário melhora
20:32 Mapa diz que reação não põe consumo em risco


20:31 EUA anunciam embargo à carne brasileira
20:05 Deputado Zeca Viana quer Pivetta de volta ao PDT
20:04 Ministério Público quer dólares de Pedro Nadaf
20:04 Líderes do DEM convidam deputados insatisfeitos do PSB
20:04 Tribunal de Justiça arquiva ação contra Oscar Bezerra
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018