Terça feira, 22 de agosto de 2017 Edição nº 14757 17/06/2017  










COMBUSTÍVEISAnterior | Índice | Próxima

Consumidor espera repasses na bomba

MARIANNA PERES
Da Editoria

A Petrobras anunciou mais uma redução sobre os preços médios da gasolina e do diesel nas refinarias em 2,3% e 5,8%, respectivamente. Pelos cálculos da estatal, se o ajuste for repassado integralmente e não houver alterações nas demais parcelas que compõem o preço ao consumidor final, o valor da gasolina na bomba pode cair 0,9% ou R$ 0,03 por litro, em média. Já o diesel pode cair 3,5%, ou cerca de R$ 0,11 por litro, em média.

A direção do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Mato Grosso (Sindipetróleo/MT), explica que os postos são apenas uma etapa na cadeia de comercialização e que distribuidoras e revendedoras são livres para definir seus preços. “Não há como fazer previsões de quais serão os reflexos, ainda mais em um mercado tão concorrido”, frisam por meio de nota. O Sindicato ressalta que não tem a função de formular ou fiscalizar a prática de preços, seja de associados ou de não associados.

A própria Estatal, ao fazer o anúncio na noite da última quarta-feira, destacou também que “esse impacto {a redução} depende de outros fatores da cadeia de combustíveis, principalmente distribuidoras e postos revendedores.

Até esta sexta-feira, dia 16, não havia alterações nos valores de bomba em postos localizados em importantes vias entre Cuiabá e Várzea Grande. Conforme dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a gasolina, por exemplo, pode ser encontrada por mínimas de R$ 3,29 e de R$ 3,25, o litro, em postos das duas cidades. A semana encerra com o litro do combustível com preço médio de R$ 3,59 no Estado, lembrando que a ANP extrai essa média de preços ao consumidor em postos de sete municípios mato-grossenses. Nessa semana foram aferidos 135 postos nesses sete locais (Alta Floresta, Cáceres, Cuiabá, Rondonópolis, Sinop, Sorriso e Várzea Grande). Com essa média, Mato Grosso exibe o 12º valor mais caro do país ao combustível.

DECISÃO - De acordo com a Estatal, a redução reflete as variações recentes nos preços internacionais do petróleo que, depois de flutuar ao redor de US$ 50 por barril, registrou queda sucessiva e está abaixo de US$ 46 por barril atualmente. Além disso, segundo a Petrobras, há interferência do câmbio.

A decisão do Grupo Executivo de Mercado e Preços da Petrobras acompanha a política de preços da companhia, anunciada em outubro de 2016.

A Estatal informou que os reajustes de preços, atualmente feitos uma vez por mês, passarão a ocorrer em períodos mais curtos, por causa das volatilidades observadas no mercado internacional.

Segundo o Comitê, os intervalos de 30 dias “não têm sido suficientes para refletir as volatilidades de preços de internacionais de derivados e câmbio entre as datas dos reajustes”.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:44 Selma pede avião de Silval
19:44 PMDB tenta unir oposição a Taques
19:44 Após delação, empresário promete devolver R$ 80 mil aos cofres públicos
19:44 Silval recebeu propina da obra da Arena
19:42 MP pede condenação de 30 anos para Alan Malouf


19:42 CNJ investiga pagamento para servidores do TJ
18:56 30 obras paradas em Cuiabá
18:55 Catracas do terminal do CPA III serão retiradas
18:55 Sem plano, municípios de MT podem perder recursos
18:55 Obras e serviços estão comprometidos na UFMT
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015