Domingo, 15 de setembro de 2019 Edição nº 14751 08/06/2017  










BOVINOS/MTAnterior | Índice | Próxima

Acrimat reforça pedido de isenção

Da Redação

A Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) formalizou ontem mais um pedido de isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviço (ICMS) para abate de gado em outros Estados. O ofício foi novamente protocolizado na Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) e cobra um posicionamento do governo do Estado com relação a situação da pecuária de corte.

A possibilidade de abater os animais em outras unidades da federação, sem a incidência do ICMS, traria alternativas de mercado para o setor e consequentemente a valorização do produto.

Até o momento, a Acrimat não recebeu nenhuma resposta oficial da Sefaz ou de outros representantes do governo do Estado e por isso vem cobrando, reiteradas vezes, sensibilidade do governo. Em maio, o preço da arroba fechou o mês a R$ 120,9, 3% a menos que na última semana de abril e 8,3% menor que em maio do ano passado.

A desvalorização do preço da arroba está sendo impulsionada por uma sequência de fatos políticos envolvendo o segmento industrial, mas com reflexos diretos sobre o produtor. Assim, a indústria tem adotado estratégias para pressionar o valor da arroba, como a paralisação de atividades e limitação nas formas de pagamento.

O vice-presidente da Acrimat, Luís Fernando Conte, destaca que a Associação vem pleiteando uma política de apoio ao setor produtivo da carne, que há anos sofre com a concentração da indústria frigorífica. “Já erámos reféns de quatro grandes grupos, sendo o principal deles detentor de 48% do mercado. Agora, em virtude de crises políticas e de corrupção, o preço está em queda e o produtor cada dia mais descapitalizado”.

ICMS - A entidade reforçou também que a redução em 12,2% do preço mínimo de pauta para incidência do ICMS publicada no Diário Oficial de ontem, “é importante para o segmento, mas não atende a demanda do setor”.Como explica a Acrimat, a redução no valor da pauta do gado foi pleiteada pela entidade em março, antes do agravamento da crise política que impacta o setor. “Apesar da redução publicada, os valores de pauta ainda estão acima dos preços praticados no mercado e desconsideram as variações regionais de Mato Grosso. Nosso pedido é para que o Estado adote para referência os valores levantados pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), que são atualizados semanalmente e por região e aguarda pela isenção”.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:45 Seis em cada dez internautas fizeram compras no último ano
17:37
16:53 Novos horizontes na aviação brasileira
16:53 A mulher bonita da janela alegre
16:52 Resistência à CPMF


16:52 Saúde: um direito ainda utópico
16:51 Nietzsche ganha verniz pop em nova biografia, que o apresenta como misógino
16:51
16:50 Órfãos da Terra: capítulos da última semana não serão antecipados no Globoplay
16:50 Dramaturgia em diálogo com a psicanálise
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018