Terça feira, 23 de julho de 2019 Edição nº 14746 01/06/2017  










OPERAÇÃO SODOMA - 2Anterior | Índice | Próxima

Tribunal de Justiça mantém procurador Chico Lima preso

Da Reportagem

Por dois votos a um, a Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça manteve a prisão preventiva do procurador aposentado do Estado, Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, conhecido como Chico Lima.

O julgamento de mérito do habeas corpus se dá em decorrência da sua prisão preventiva autorizada pela juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Arruda, nos autos da quarta fase da Operação Sodoma deflagrada em setembro do ano passado.

De acordo com as investigações da Delegacia Fazendária, Lima é suspeito de participação de um esquema de desvio de dinheiro público na ordem de R$ 15,857 milhões, relacionado ao pagamento pela desapropriação do bairro Jardim Liberdade I na gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

No julgamento do pedido de liberdade, o desembargador Alberto Ferreira, relator do habeas corpus, defendeu a manutenção da prisão preventiva, ao sustentar que o fato de Chico Lima já não exercer mais cargo público não o impede de “utilizar seu prestígio político para fins escusos”.

“Há nos autos registros que demonstram que ele tem ocultado o patrimônio para se blindar da aplicação da lei. Quando da lavagem de dinheiro, teve habilidade para driblar as suspeitas dos órgãos de controle”, disse.

O voto do magistrado foi acompanhado pelo desembargador Paulo da Cunha. Por outro lado, o desembargador Pedro Sakamoto votou favorável à concessão da liberdade por entender que falta contemporaneidade aos fatos.

Sakamoto defendeu a liberdade mediante pagamento de fiança na ordem de R$ 847 mil, mas foi voto vencido.

De acordo com as investigações, o maior beneficiário do dinheiro desviado foi o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) que recebeu R$ 10 milhões.

O dinheiro seria usado para quitar uma dívida de R$ 40 milhões mantida com o empresário Valdir Piran.

O ex-secretário chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf, recebeu R$ 2,452 milhões. Coube ao procurador aposentado do Estado, Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o Chico Lima, receber R$ 1,106 milhão.

Receberam igualmente a quantia de R$ 607.750 mil os ex-secretários de Estado Arnaldo Alves (Planejamento) e Marcel de Cursi (Fazenda).

A mesma quantia foi recebida pelo ex-presidente do Intermat (Instituto de Terras de Mato Grosso), Afonso Dalberto. (RC)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:04 Estrutura administrativa é alterada
18:03 Procurador-geral da Justiça vai hoje a Assembleia
18:03 Substitutivo deve ser apresentado hoje na AL
18:02 Educadores se acorrentam em frente ao Palácio Paiaguás
18:01 Jovem é assassinada a tiros na frente dos filhos


18:00 Polícia prende homem que matou mulher com golpe de faca
18:00 Operação mira organização criminosa envolvida com o tráfico de drogas e roubos
17:59 Padrasto é preso suspeito de abusar de enteadas de 10 e 13 anos
17:58 Projeto de lei reduz em dez vezes alíquota para calcário agrícola
17:58 Governo exclui sociedade civil de conselho de políticas sobre drogas
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018