Quinta feira, 21 de março de 2019 Edição nº 14739 23/05/2017  










CASO DINÉIAAnterior | Índice | Próxima

Revoltada com morte, família quer Justiça

Estudante de Direito foi morta no sábado, estrangulada pelo ex-namorado

ARQUIVO PESSOAL
Dineia Batista Rosa, 35 anos, foi morta no sábado pelo ex-namorado Welington Fabrício de Amorim Couto
ALINE ALMEIDA
Da Reportagem

Mãe de dois filhos, cursando o 7° semestre de Direito, sem vício nenhum, carismática e cheia de sonhos. Assim o fotógrafo Ednei Rosa descreve a irmã Dineia Batista Rosa, 35 anos. A estudante de Direito foi brutalmente assassinada pelo ex-namorado, Welington Fabrício de Amorim Couto, 34, no sábado (20). Na busca por justiça, os familiares e amigos de Dineia organizam um ato amanhã às 14h, em frente à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Cuiabá.

Também na quarta-feira, Ednei e a mãe devem prestar esclarecimentos na DHPP a respeito do crime. “O que nós queremos é justiça. Passe o tempo que passar, a nossa família vai lutar para que o Weligton pague pelo crime, nossa família está desolada”, diz.

Ednei conta que a irmã namorou por dois anos com Weligton. Mas estava separada do mesmo que não aceitava o fim do relacionamento. O fotógrafo conta que a última conversa com a irmã foi na sexta-feira na universidade. Na ocasião a mesma relatou ao irmão que registrou ocorrência contra Weligton, inclusive com medida protetiva. Ela contou que o homem a perseguia e chegou a espancar a mesma na universidade. A mulher já havia registrado dois boletins de ocorrência contra o ex-namorado.

“O Weligton aparentava ser uma pessoa normal. Mas nos últimos meses a minha irmã começou a reclamar muito dele. Ela não queria mais ele. Pelo que dá para perceber é que ela vinha sendo ameaçada constantemente”, conta.

O crime ocorreu na casa em que menos de uma semana Dineia e o irmão tinham dado a mãe de presente. A casa recém-adquirida no bairro Serra Dourada, em Cuiabá, foi palco de um assassinato brutal da manhã de sábado (20). A estudante de Direito foi espancada e enforcada com um pedaço de fio de energia elétrica até a morte. Dineia teve o rosto desfigurado com pedaço de tijolo. A informação é de que o filho de Dineia presenciou o início das agressões e saiu correndo para pedir ajuda.

Weligton já tinha uma condenação a 17 anos de prisão por matar a ex-esposa Denevimar Silva Dias. Ele foi condenado por homicídio triplamente qualificado e ganhou progressão do regime em 2014. O crime ocorreu em 2008 no residencial São Carlos, em Cuiabá. Naquela ocasião a vítima foi estrangulada com um fio elétrico e mutilada.

Weligton já estava com mandado de prisão em aberto. Após o crime, o suspeito tentou esconder, mas foi preso em flagrante no mesmo dia. Informações preliminares apontam que motivação seria o fim do relacionamento e suspeita de traição. Além de Dineia ter registrado boletim de ocorrência contra o suspeito.

Para a família, a estudante de Direito que inclusive estagiava no Fórum de Várzea Grande e tinha o sonho de abrir seu próprio escritório teve os sonhos rompidos. "A manifestação será em frente à DHPP, às 14h, não podemos deixar esse crime impune", diz Ednei Rosa.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:56 Prévia da inflação registra menor acumulado em 12 meses
19:55 Meirelles reafirma crescimento
19:55 "Estou com agenda ativa e reuniões intensas"
19:55 Boatos e especulações sobre a JBS lesam mercado estadual
19:54 Empresários demonstravam otimismo


19:54 MT inicia colheita da sua ‘safrona’
19:35 Em nota, governo reafirma apoio às investigações
19:35 TJ mantém Sérgio Ricardo afastado
19:35 Mil telefones foram grampeados, diz juiz.
19:28 Justiça nega acareação de Bosaipo e Riva
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018