Domingo, 13 de outubro de 2019 Edição nº 14738 20/05/2017  










FITCHAnterior | Índice | Próxima

Fazenda reforça importância de iniciativas por resgates

Da Agência Estado – Brasília

O Ministério da Fazenda divulgou nota ontem, afirmando que a decisão da agência de classificação de risco Fitch em manter a nota de crédito do País reforça a importância das iniciativas do governo federal que visam à recuperação da economia brasileira e a construção das bases para o crescimento sustentado. "O Ministério da Fazenda reafirma seu compromisso com a busca da consolidação fiscal do país e a sustentabilidade da dívida pública", afirmou a pasta.

A agência manteve em BB os ratings de longo prazo do Brasil, em moedas estrangeira e local. Já os ratings de curto prazo em moedas estrangeiras e local foram reafirmados em B. O teto do País, por sua vez, continua sendo BB+. Além disso, a Fitch manteve a perspectiva negativa dos ratings, devido às contínuas incertezas sobre a recuperação econômica do Brasil e sobre o progresso da agenda legislativa.

Apesar de reafirmar na sexta o rating do Brasil, a Fitch considerou que a nota de crédito é pressionada pela fraqueza estrutural de suas finanças públicas e limitada pelos recorrentes episódios de instabilidade política, que têm consequência negativa para a economia do País. Em comunicado, a agência apontou que os recentes eventos políticos relacionados ao presidente Michel Temer podem prejudicar a confiança na recuperação econômica do Brasil.

Já a Fazenda destacou que o relatório da Fitch menciona "a importância e o desafio da aprovação das reformas em curso, as quais ajudarão na reversão do cenário fiscal, contribuindo para uma trajetória benigna de endividamento público".

O ministério alegou ainda que a Fitch reconhece que a diversidade da economia brasileira, o volume expressivo de reservas internacionais e a capacidade do mercado doméstico de dívida pública de financiar os déficits fiscais nos últimos anos constituem pontos fortes do país. De acordo com Fazenda, a agência também destaca a importância das reformas implementadas, como o Teto de Gastos e a Reforma da Previdência, fatores fundamentais para consolidação fiscal do País.

MOODY'S - Outra agência de classificação, a Moody's, também avaliou ontem que as alegações envolvendo o presidente Michel Temer e o dono da JBS, Joesley Batista, prejudicam a perspectiva de crédito do Brasil, "ameaçando paralisar ou reverter o positivo momento político e econômico observado recentemente". Para a agência, no entanto, "ainda é muito cedo" para avaliar os desdobramentos. "Nossa visão sobre o que pode ameaçar a perspectiva estável do rating Ba2 do Brasil continua sendo aquela refletida em nossa avaliação feita em março: um ressurgimento da desarticulação política e, ainda, a interrupção do momento favorável às reformas que ameace sua implementação e o cumprimento do teto dos gastos públicos".



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




16:35 Indústria alimentícia corre atrás do público que prefere comida orgânica
16:27 Riva diz ter pago R$ 175 mi para parlamentares
16:26 Habemus Autoridade Nacional de Proteção de Dados
16:25 O amor constrói
16:24 Solução estrutural


16:24 Lei de abuso de autoridade é ato de abuso de poder parlamentar
16:23 Chico Buarque lança primeiro romance após o Prêmio Camões
16:23
16:22 Terror nacional, Morto não fala mostra Daniel de Oliveira ouvindo lamento de cadáveres
16:21 A vida invisível disputa Oscar com 92 filmes
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018