Domingo, 28 de maio de 2017 Edição nº 14737 19/05/2017  










ARAPONGAGEMAnterior | Índice | Próxima

Jajah Neves e Janaína Riva trocam ameaças

KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

O deputado estadual Jajah Neves (PSDB), analisa a possibilidade de acionar a sua colega parlamentar, Janaína Riva (PMDB) por quebra de decoro parlamentar, devido às acusações feitas a sua pessoa durante a sessão da última quarta-feira (18).

Exaltada após intensa discussão em plenário, a peemedebista chamou o parlamentar de “ladrão” e “bandido” e ainda acusou Jajah de fazer os repasses da verba indenizatória, de R$ 65 mil, ao titular do mandato, Wilson Santos (PSDB), que atualmente está à frente da Secretaria de Cidades.

Além disso, disse que o tucano, se quer, teve votos suficientes para se eleger deputado. “Ela vai ter que provar. Ela disse ali, cabe a ela o ônus da prova. Eu vou acioná-la, porque ela está prevaricando ali dentro. Então eu quero que ela prove. Não existe nada disso”, garantiu Jajah.

O parlamentar rebateu as acusações insinuando que Janaína se elegeu por meio de compra de votos, sendo o dinheiro “fruto de corrupção” patrocinada pelo seu pai, o ex-deputado estadual José Riva, que é réu em diversas ações penais por desvio de recurso público.

“Ela não teve voto, primeiro que nem nome ela tinha. E o voto que ela teve foi roubado, porque foi comprado com dinheiro de corrupção do pai dela, e ela sabe muito bem disso”, enfatizou.

Jajah ainda criticou a família da deputada ao afirmar que a mesma sempre foi “sustentada pelo dinheiro da corrupção”.

“Quando ela citou que eu não tenho foro privilegiado, realmente eu não preciso de foro. Quem precisa de foro é ladrão, bandido, que nem o pai dela, que enquanto tinha foro estava solto, quando perdeu foi pra cadeia. Eu não preciso de foro, pois não sou criminoso, não sou bandido, não fui sustentado pelo dinheiro da corrupção. Dinheiro que levou nosso Estado à miséria. Não tenho patrimônio com dinheiro que veio da corrupção”, disse.

O bate boca entre os parlamentares ocorreu na noite de quarta-feira (17), durante sessão na Assembleia Legislativa do Estado. Jajah e Janaína trocaram farpas, após o tucano tecer duras críticas ao pedido de abertura de uma Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) para apurar o suposto esquema de grampos ilegais no Estado, do qual a peemedebista teria sido alvo.

Em meio a lágrimas, Janaína utilizou a tribuna para pedir o apoio dos deputados da base aliada do governador Pedro Taques (PSDB) para garantir a instauração da investigação, tendo em vista que todos se posicionaram contra a abertura da CPI.

O apelo da parlamentar causou revolta em Jajah, que subiu a tribuna para criticar a postura da mesma. Para ele, a peemedebista estava se fazendo de vítima para chamar a atenção. Por conta disso, começou a discussão.

Na manhã desta quinta-feira, a deputada utilizou sua pagina no Facebook para se desculpar. “Acabei me excedendo na tribuna, desabei em choro e troquei adjetivos muito ruins com um colega. À população de Mato Grosso peço desculpas pela minha postura. Apesar de sempre ser combativa nas causas que acredito, não deveria ter me excedido”, disse.

VERBA INDENIZATÓRIA – Diante das acusações de Janaína a cerca do repasse da verba indenizatória, o deputado licenciado e atual secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos resolveu se pronunciar.

Ele afirma que recebeu com absoluta tranquilidade a informação e garantiu que irá solicitar à Assembleia Legislativa que conceda uma certidão apontando para quem foi paga a verba indenizatória entre 21 de novembro de 2016 e 10 de abril de 2017, período em que ficou afastado do Parlamento para assumir o comando da Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT).



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:09 Gaeco analisa investigação interna sobre grampos
20:09 Taques convoca coronel da reserva para conduzir IPM
20:08 Marcelo Duarte e o desafio de construir 100 pontes
20:08 Taques libera R$ 70 milhões para Saúde
20:08 Eduardo Botelho defende uso do Fethab na Saúde


20:08 Gilmar Fabris denuncia ex-diretor de hospital
20:07 Sindicalistas reclamam de falta de diálogo
20:07 Governo propõe pagar em três parcelas
19:54 Moody's altera perspectiva do rating
19:53 Empresas com Sise poderão aderir ao sistema federal
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015