Domingo, 28 de maio de 2017 Edição nº 14737 19/05/2017  










VIOLÊNCIAAnterior | Índice | Próxima

Latrocínios e homicídios diminuem em MT

Nos primeiros quatro meses do ano foram registrados 12 latrocínios, no ano passado, no mesmo período foram 21

DINALTE MIRANDA/DC
Neste ano, Cuiabá e Várzea Grande contabilizam cinco latrocínios, até abril
JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

Considerados termômetros para medir os índices de criminalidade numa cidade, os casos de latrocínio (roubo seguido de morte) e homicídios apresentaram redução nos primeiros meses deste ano, em Mato Grosso. No Estado, os latrocínios caíram de 21 para 12 no quadrimestre do ano.

No mesmo período, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) divulgados ontem, também houve uma significativa retração em Cuiabá, com queda de 63%, e em Várzea Grande, onde a quantidade de registros foi 33% menor com relação ao mesmo período do ano passado.

Conforme a estatística disponibilizada pela Polícia Civil, neste ano, as duas cidades contabilizam cinco latrocínios, até abril. Em 2016, foram 11, no mesmo período.

Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas, essa redução é reflexo da intensificação de ações integradas que vêm sendo realizadas em todo o estado. “O empenho das tropas e o compromisso firmado entre as unidades fortalecem as ações de Segurança. Este resultado é a prova disso. Com o trabalho integrado, temos mais capilaridade em nossas atividades e alcançamos êxito nas nossas ações”, disse.

Já a delegada Elaine Fernandes, da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos (Derf), acredita que as parcerias entre as forças de segurança têm auxiliado na prevenção e repressão a esta modalidade criminosa. “Atribuo este resultado a uma ‘força tarefa’, pois unimos forças e temos tido resultados positivos. Temos tratado as investigações atinentes a elucidação dos crimes de latrocínio como prioridade, estamos atuando na prevenção e repressão. Para dar mais agilidade na resolução dos casos, intensificamos o atendimento em locais de crime, elevando os números de prisões em flagrante”.

O comandante Regional de Várzea Grande, coronel PM Alessandro Ferreira, ressaltou o trabalho preventivo e ostensivo que vem sendo realizado no município. “Trabalhamos com base nos índices criminais, identificando locais de risco. Aumentamos o patrulhamento nessas áreas de risco e intensificamos as ações preventivas”, afirmou.

Ele também cita visitas feitas em casas e comércios nas principais localidades identificadas como vulneráveis e onde são feitas instruções sobre práticas que minimizam as condições de risco ao cidadão e ao patrimônio.

ASSASSINATOS - De acordo com a Sesp entre 1° de janeiro e 31 de março, o município de Várzea Grande se destacou, com uma redução de 94% neste tipo de crime. Foi o menor registro (mesmo período) dos últimos três anos. Na Capital, a redução trimestral alcançou 33%, caindo de 24 registros em 2016 para 16 casos em 2017.

“Com o incremento de efetivo que tivemos, pudemos ampliar o policiamento ostensivo, com isso nossas ações se expandirão aos territórios onde os índices de violência são mais expressivos”, avalia o segundo o diretor operacional e subchefe do Estado Maior, coronel PM Heverton Mourett.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:09 Gaeco analisa investigação interna sobre grampos
20:09 Taques convoca coronel da reserva para conduzir IPM
20:08 Marcelo Duarte e o desafio de construir 100 pontes
20:08 Taques libera R$ 70 milhões para Saúde
20:08 Eduardo Botelho defende uso do Fethab na Saúde


20:08 Gilmar Fabris denuncia ex-diretor de hospital
20:07 Sindicalistas reclamam de falta de diálogo
20:07 Governo propõe pagar em três parcelas
19:54 Moody's altera perspectiva do rating
19:53 Empresas com Sise poderão aderir ao sistema federal
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015