Segunda feira, 24 de junho de 2019 Edição nº 14733 13/05/2017  










Anterior | Índice | Próxima

Ex-presidente teria prometido um 'sistema' para campanha

Da Agência Estado - Brasília

O marqueteiro João Santana afirmou, em delação premiada, que a ex-presidente Dilma Rousseff teria assumido o "controle da gestão financeira" da campanha eleitoral de 2014. Segundo Santana, a ex-presidente teria marcado um encontro, no início de 2014, para "tranquilizar" o marqueteiro sobre a forma de custear a campanha, que passaria a ser gerenciada pelo então ministro da Fazenda Guido Mantega.

"Ela disse: 'Eu quero primeiro lhe tranquilizar em relação à campanha de 2014. Eu estou criando um sistema que você pela primeira vez poderá ser pago até antecipadamente'", relatou Santana. O sistema, descreve o delator, excluiria o então tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

A presteza prometida não teria, no entanto, se concretizado, conforme explica o marqueteiro: "Era para entrar o dinheiro, e o Guido não conseguiu viabilizar. Foi paga uma parte, mas não com a presteza e a antecipação com que havia sido garantido".

João Santana e a mulher, Mônica Moura, foram responsáveis pelas campanhas do PT à Presidência da República em 2006, 2010 e 2014

A colaboração de Santana e de Mônica Moura, além de André Santana, funcionário do casal, foi assinada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta sexta-feirav 12, o Supremo divulgou os vídeos com os depoimentos do casal.

Procurada ontem, a assessoria da ex-presidente Dilma não se manifestou. Na quinta, após o STF retirar o sigilo dos depoimentos, a assessoria de imprensa de Dilma disse que "João Santana e Mônica Moura prestaram falso testemunho e faltaram com a verdade em seus depoimentos, provavelmente pressionados pelas ameaças dos investigadores".



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




10:13 Sindicalismo 4.0 e a revolução tecnológica
10:13 Emanuel querapoio do DEM
10:12 Desemprego
10:12 O grande protesto
10:11 Questão das armas


10:09 Dodge questiona vazamento e se manifesta contra Lula
10:09
10:06 Bolsonaro admite problemas na articulação política
10:05 PM amigo de Bolsonaro assume Secretaria-Geral
10:04 Guerra só tem mais 6 meses e pode gerar prejuízo de R$ 12 mi
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018