Sexta feira, 13 de dezembro de 2019 Edição nº 14727 05/05/2017  










FETHABAnterior | Índice | Próxima

Pecuaristas cobram reinvestimentos

Da Redação

A Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) pede que os recursos arrecadados por meio do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) sejam melhor aplicados em infraestrutura logística e que o destino do tributo seja compartilhado com os contribuintes, os produtores rurais. A cobrança foi feita ontem, durante reunião do Conselho Diretor do Fethab com governo estadual e demais representantes do setor produtivo para avaliar a aplicação dos valores recolhidos. Em 2016, a pecuária de corte destinou, via Fethab I e II, R$ 104 milhões, 36% a mais do que estava previsto para o ano.

O Fethab é a contribuição do agronegócio com o governo estadual e tem por finalidade investimentos em logística e habitação. De acordo com governo do Estado, nos dois últimos anos foram realizados 1.430 km de asfalto, entre obras de construção e reconstrução e repassado o montante de R$ 509 milhões para as 141 prefeituras.

Apesar dos investimentos, o presidente da Acrimat, Marco Túlio Duarte Soares, destaca que ainda há muito a ser feito e que a precariedade das estradas está comprometendo o escoamento da produção. “Estivemos percorrendo algumas regiões do Estado que estão com sérios problemas de tráfego, como a MT-322, MT-208 e MT-183. Sabemos das dificuldades econômicas, o produtor aceitou aumentar sua parcela de contribuição, mas não está vendo os recursos serem aplicados em totalidade para sua finalidade”, enfatiza Marco Túlio.

O Fethab foi criado em 2.000 no com objetivo único e exclusivo de financiar obras de infraestrutura de estradas e habitação. Ao longo dos anos, a lei foi sofrendo alterações e novas atribuições foram dadas ao recurso. Ano passado, após acordo entre o governo estadual e o setor produtivo, foi instituído o Fethab II, uma nova contribuição do setor produtivo com destinação para infraestrutura logística.

Com a criação deste novo recurso, a pecuária de corte aumentou sua contribuição, que passou de R$ 61,25 milhões para R$ 104 milhões, um aumento de 69% após o Fethab II.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:07 MEC libera que cursos presenciais com conceitos mais baixos expandam carga horária à distância
17:07 STF prevê julgar no ano que vem permissão a candidatura avulsa
17:06 Conflitos e retrocessos marcam presença do Brasil na COP-25
17:05 14 – sábado Desigualdade e evasão escolar
17:05 BOA DISSONANTE


17:04 Doador de amor
17:03 Lei do retorno
17:03 Nossos demônios…
17:02 O Auditor Interno e o combate à corrupção
17:00 Na COP 25, MT defende tolerância zero ao desmatamento
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018