Sábado, 07 de dezembro de 2019 Edição nº 14726 04/05/2017  










ADMAR PORTUGALAnterior | Índice | Próxima

Gigante do Norte

Cuiabá e Sinop protagonizaram um jogo emocionante no primeiro confronto da final da edição deste ano do Campeonato Mato-grossense na Arena Pantanal no domingo passado. A vitória de 2 a 1, de virada, do Dourado sobre o Galo do Norte, credenciou o clube da Capital a condição de favorito a conquista do título. Só que o time do experiente técnico Marcos Birigui está invicto dentro do estádio Gigante do Norte e está confiante na reversão do placar.

Quem levantar o troféu de campeão é de fato e de direito o melhor clube de Mato Grosso. Importante destacar também que o Luverdense, terceiro colocado, também faz parte do seleto time com gabarito para conquistar o título, tropeçou diante do Cuiabá. O Sinop do técnico Marcos Birigui chegou pela segunda vez consecutiva na final do Mato-grossense. No ano passado teve a vantagem de fazer o segundo e decisivo jogo da final contra o Luverdense.

No jogo de ida no estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde, empatou sem gols com o time da casa e no Gigante do Norte completamente lotado sucumbiu e perdeu o jogo e o título pelo placar mínimo de 1 a 0. Neste ano conquistou a mesma vantagem de fazer o segundo e decisivo jogo da final em casa e não foi feliz no jogo de ida. Abriu o marcador da Arena Pantanal através do atacante Andrezinho, mas acabou perdendo o jogo de virada. Birigui é enfático ao dizer que sua equipe vai conquistar o título do mato-grossense. Que vença o melhor.

A dissonante do Estadual deste ano são as diretorias do União de Rondonópolis e também do Clube Esportivo Operário Várzea-grandense, o CEOV. Eu absolvo as diretorias de ambos os clubes e culpo o amadorismo dos jogadores que deveriam cumprir suas respectivas punições. Os dois jogadores do União - Marcos Vieira Calado e Kauan Pereira de Azevedo – mais o do CEOV, Leandro da Silva Gomes, conhecido apenas por Lê, deveriam comunicar os dirigentes de ambos os clubes e ficar de fora da relação dos jogadores para a disputa em questão.

O União, dono da segunda melhor campanha de seu grupo, foi punido com a perda de seis pontos e cedeu sus vaga ao Dom Bosco na semifinal. Pelo clube várzea-grandense, foi pior, perdeu também seis pontos e foi rebaixado à Segunda Divisão do Mato-grossense. E como fica os demais companheiros e seus respectivos diretores, que trabalharam em vão? Que sirva de lição para os demais clubes ao contratar este ou aquele jogador. Não custa nada perguntar qual foi sua última partida oficial.



ADMAR SILVA DE PORTUGAL é repórter

asportugal@diariodecuiaba.com.br



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:39 Data deve injetar cerca de R$ 14 bilhões na economia
19:39 Pecuaristas cobram reinvestimentos
19:38 Potencial mato-grossense é de R$ 67 bi
19:38 Uso do ‘correntão’ segue autorizado
19:38 Classe ‘B’ vai segurar consumo já interiorizado


19:09 Decisão dispensa aval da AL para afastar governadores
19:08 Lava Jato agora quer abrir 'caixa preta' da repatriação
19:08 Tribunal cassar governador e vice-governador do Amazonas
19:07 Lula não precisará comparece às audiências
19:07 Abaixo-assinado pede impeachment
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018