Quinta feira, 27 de abril de 2017 Edição nº 14718 20/04/2017  










ÁGUA PARA O FUTUROAnterior | Índice | Próxima

Ministério Público identifica 131 nascentes em Cuiabá

Da Reportagem

Um levantamento do Ministério Público do Estado já identificou a existência de 131 nascentes em Cuiabá, 78 já confirmadas. A ação faz parte do projeto “Água Para o Futuro” que busca a preservação e recuperação de nascentes. Somente com o lançamento do aplicativo para que a população ajude na identificação de nascentes, em menos de um mês, a comunidade já apontou a existência de sete nascentes.

As possíveis nascentes estão localizadas nos bairros Despraiado, Bela Vista, CPA II, Consil e na região do CPA III. De acordo com o promotor de Justiça Gerson Barbosa, idealizador e coordenador do projeto há fortes indícios de que, em duas situações, pelo menos, as imagens enviadas pelo aplicativo são de nascentes. “A nossa equipe esteve nos locais citados e verificou urgência natural de água e características geológicas propícias. Além disso, foi constatado curso de água e inexistência de escoamento superficial de água pluvial”, explicou o promotor de Justiça.

Gerson Barbosa reforçou ainda que o monitoramento deverá se estender por aproximadamente um ano, já que várias questões técnicas deverão ser consideradas. Mas que as nascentes comunicadas já serão monitoradas, inclusive por drones, buscando a sua preservação. Para ter acesso ao aplicativo e ajudar na preservação de nascentes, o usuário deve utilizar o APP do smartphone e, na sequência, pesquisar projeto Água Para o Futuro e fazer o download do aplicativo. O objetivo do APP é identificar, monitorar, recuperar e preservar as nascentes urbanas.

No aplicativo, o usuário pode localizar as nascentes urbanas de Cuiabá; enviar novas nascentes ainda não mapeadas; participar do monitoramento das nascentes conhecidas enviando mensagens diretamente para o projeto Água para o Futuro; e obter mais informações sobre o projeto.

Dados - O Ministério Público de Mato Grosso (MPE) possui 25 inquéritos civis instaurados para apurar os danos ambientais e as responsabilidades pelas irregularidades cometidas em diferentes nascentes, localizadas em Cuiabá. Nos últimos nove anos, a capital perdeu 46% dos olhos d’água, que foram aterrados com a construção de empreendimentos ou invadidos. O “Água Para o Futuro” foi idealizado há um ano e meio a partir de uma pesquisa feita pela concessionária dos serviços de água e esgoto de Cuiabá a pedido do Ministério Público Estadual, e de estudos realizados pela Universidade Federal de Mato Grosso. A iniciativa conta também com a parceria do Instituto Ação Verde. (AA)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:47 Dólar fecha no maior nível desde março por ‘receios’
19:46 Juro do rotativo sobe para 490,3% Da Agência Estado – Brasília
19:46 Endividamento das famílias caiu a 41,8% em fevereiro
19:46 Comércio não vai aderir à paralisação de sexta-feira
19:45 Saldo de devoluções supera o do país


19:24 Rafael Cotrim assume Educação
19:24 PTB na contramão da Nacional
19:23 Líder do governo pede para conselheiro deixar palanque
19:23 Relatório finalmente é aprovado na AL
19:23 MP faz ato em defesa da manutenção de parque
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015