Quarta feira, 23 de agosto de 2017 Edição nº 14696 18/03/2017  










BIG BROTHERAnterior | Índice | Próxima

Câmeras monitoram a Grande Cuiabá

Mais de uma centena de câmeras fazem o videomonitoramento de Cuiabá e Várzea Grande

DINALTE MIRANDA/DC
Sistema de videomonitoramento da Sesp captou, em 15 dias, 104 ocorrências nas principais ruas da capital e Várzea Grande
JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

Quando se trata de população, Cuiabá e Várzea Grande são as duas maiores cidades de Mato Grosso. Até por isso, são as que mais registram índices de criminalidade e violência no trânsito. Preocupadas com isso, as autoridades de segurança pública e de trânsito têm investido no sistema de videomonitoramento, que serve como importante ferramenta tecnológica de apoio ao trabalho de policiamento ostensivo, preventivo e investigativo das polícias Civil e Militar, além de auxiliar na identificação de conflitos e demandas do trânsito.

Na capital, são 85 câmeras monitoradas pelo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) da Sesp, que fica no Centro Político Administrativo (CPA). Em Várzea Grande, a segurança eletrônica é feita por outras 17 máquinas, popularmente chamados de “big brothers”. No total, são 102 e, nos próximos quatro anos, a intenção da Sesp é ampliar o número para 202 câmeras monitoradas pelo CICC.

Agregando ao trabalho, a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) da capital conta com outras 32 câmeras, que desde abril do ano passado monitoram, em tempo real, o trânsito nas principais ruas e avenidas da cidade. Os equipamentos contam com alcance de até dois quilômetros de visão de distância.

Para se ter uma ideia da importância, nesta semana uma câmera da Semob flagrou o momento em que um estudante de Direito caiu no córrego do Barbado, nas proximidades da Avenida Fernando Corrêa, uma das mais movimentadas da capital. A vítima morreu na hora.

As imagens poderão ajudar o trabalho da polícia, que investiga as causas do acidente. O vídeo mostra, por exemplo, que ao contrário do que foi informado inicialmente, o acidente não aconteceu após ele fazer a rotatória, mas antes de chegar à curva nas proximidades da rotatória.

Já o sistema de videomonitoramento da Sesp captou, em 15 dias, 104 ocorrências nas principais ruas da capital e Várzea Grande. Deste número, 55% foram flagrante delito em tentativa de roubo e furto, ameaça e direção perigosa. Os dados referem-se ao período de 13 a 28 de fevereiro. Gerente do Centro Integrado, o sargento bombeiro militar (BM) Leandro Gustavo Alves relata que uma das tentativas de furto (frustrada) aconteceu no dia 27 de fevereiro passado, quando quatro homens tentaram quebrar o cadeado de uma loja de confecções na Avenida Isaac Póvoas, próximo à Rua 13 de Junho.

Durante a ação, os operadores da central flagraram a ação e solicitaram apoio da viatura da polícia mais próxima. Em poucos minutos, policiais militares fizeram a abordagem e prenderam os quatro suspeitos.

“Minha missão aqui é auxiliar e acompanhar o serviço de monitoramento, orientar e passar as informações para o pessoal de cabines de rádio”, relatou o supervisor de videomonitoramento, sargento da PM Carlos Alexandre Vitorino, que trabalha na central há quatro meses e cumpre turno de 12 horas. “O diferencial do nosso trabalho do policial que está na rua quase não existe por que a gente está em contato e é quase a mesma coisa se estivéssemos na ocorrência. A gente acompanha e torce para que obtenham êxito e a adrenalina é a mesma”, acrescentou.

Segundo Leandro Alves, o número de ocorrências e flagrantes registrados no período é um maior do que costumeiramente eram captados. Para ele, o aumento se deve à inclusão de 44 novos operadores do videomonitoramento incluídos no trabalho desde 13 de fevereiro passado. Anteriormente três servidores ficavam responsáveis por monitorar as 102 câmeras. “Cada operador fica responsável por 10 câmeras, então o trabalho é contínuo e com isso conseguimos triplicar as ocorrências”.

Outra imagem capturada permitiu que a Polícia Militar prendesse duas pessoas por assaltar usuários do transporte coletivo, na Praça do Porto. O crime aconteceu no dia 5 de março, às 14h.

Ainda durante o período de 13 a 28 de fevereiro, foram realizadas 31.400 checagens em placas de veículos e motocicletas para verificar se é produto de roubo ou furto. “Ao checar a imagem da placa e detectar que é roubada ou furtada, a Polícia Militar é acionada para fazer a abordagem e posteriormente encaminhada para a delegacia”, disse Alves.

EMERGÊNCIA - O CICC também recebe ligações dos números de emergência do 190 (Polícia Militar), 193 (Corpo de Bombeiros) e 197 (Polícia Civil) e 118 (Semob). Denúncias de violência doméstica, pelo número 180, são recebidas em Brasília e encaminhadas para averiguação no Centro Integrado de Cuiabá.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:39 PF pede prorrogação de investigação contra Ezequiel
19:38 Senador Medeiros deixa PSD e vai para o Podemos
19:38 Proposta está emperrada no Tribunal de Justiça
19:38 Ministério Público investiga pagamentos de pensões
19:37 Morre ex-governador Pedro Pedrossian


19:37 Taques aumenta ataques ao governo Silval
19:37 Silval diz que pediram dinheiro para campanha de Pedro Taques
19:09 Ações sobem quase 50% após anúncio sobre desestatização
19:08 Preços da saca em 2017 não têm seguido movimentação histórica
19:08 BB suspende a exigência da APF em MT
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015