Domingo, 28 de maio de 2017 Edição nº 14651 12/01/2017  










VÁRZEA GRANDEAnterior | Índice | Próxima

Longas filas para buscar vagas em escolas e creches

Da Reportagem

A corrida por vagas nas escolas municipais e creches de Várzea Grande tem feito com que muitos pais durmam na fila. O processo para novas matrículas foi aberto no dia 3 de janeiro e deve se encerrar amanhã. Contudo, em muitas escolas, as vagas foram esgotadas no mesmo dia.

Na Escola Municipal de Educação Básica (Emeib) Rita Auxiliadora de Campos Cunha, localizada no bairro Imperial, foram abertas vagas para o 1°, 2 ° e 4° anos. Desde sexta-feira pais estavam acampando no local para garantir vaga. Pelo menos 100 pessoas tentavam segurar vagas em sistema de revezamento: cada período alguém da família estava no local.

“Eu estou desde sexta-feira tentando uma vaga para o meu sobrinho. A minha família toda fez este sistema. Cada vez era um que segurava a vaga. Graças a Deus que conseguimos”, disse.

Nas creches a situação não é diferente: as famílias afirmam que têm até pago pessoas para conseguir uma vaga para o filho. “Eu mesma, como trabalho e não tinha quem ficar durante o dia, tive que pagar várias pessoas para conseguir que meu filho fosse matriculado. À noite eu ia para a fila segurar a vaga e durante o dia eu pagava alguém para ficar lá. Quem cobrava menos era R$ 80”, disse Cleonice Jesus de Assis.

De acordo com o secretário de Educação de Várzea Grande, Silvio Fidelis, as rematrículas foram realizadas no mês de dezembro e as novas ocorrem entre 3 e 13 de janeiro. Mas segundo ele, as unidades têm autonomia para programar o calendário de matrículas e rematrículas. Somente depois de todo este processo é que será possível saber onde ainda há vagas.

O secretário garantiu que nenhuma criança ficará fora das salas de aulas. Se não houver vagas na unidade de escolha, será feito um estudo para saber da possibilidade de uma sala em anexo. No entanto, também uma das saídas é que os alunos que não conseguirem as vagas em determinadas unidades sejam remanejados para as mais próximas.

Silvio diz ainda que os casos de alta procura são pontuais, como as unidades Jayme Veríssimo de Campos, o Centro Nossa Senhora da Guia, a Escola Marilce Benedita de Arruda e também a Rita Auxiliadora.



“Isso está acontecendo porque os pais fazem seleções por determinadas escolas. Essas escolas geralmente foram muito boas no Ideb e por isso essa procura, pela qualidade. Mas ninguém vai ficar sem estudar”, disse.

Atualmente, o município conta com 48 unidades escolares denominadas urbanas, 19 centros infantis, 12 escolas de campo e um centro especializado. Para 2018, pelo menos, 14 escolas serão construídas e uma obra foi retomada. Ao todo, são 25 mil alunos na rede municipal de ensino de Várzea Grande.

Em Cuiabá - As rematrículas dos alunos de unidades educacionais da rede municipal foram feitas entre os dias 5 a 7 de dezembro. Já a matrícula para novos alunos ocorreram em 13 de dezembro. Aqueles que não conseguiram efetivar a vaga no período estabelecido tiveram que se cadastrar junto à Secretaria de Educação.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:09 Gaeco analisa investigação interna sobre grampos
20:09 Taques convoca coronel da reserva para conduzir IPM
20:08 Marcelo Duarte e o desafio de construir 100 pontes
20:08 Taques libera R$ 70 milhões para Saúde
20:08 Eduardo Botelho defende uso do Fethab na Saúde


20:08 Gilmar Fabris denuncia ex-diretor de hospital
20:07 Sindicalistas reclamam de falta de diálogo
20:07 Governo propõe pagar em três parcelas
19:54 Moody's altera perspectiva do rating
19:53 Empresas com Sise poderão aderir ao sistema federal
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015