Sábado, 21 de janeiro de 2017 Edição nº 14651 12/01/2017  










TÊNIS DE MESAAnterior | Índice | Próxima

Competição aquece mercado de Cuiabá

JUNIOR MARTINS
Especial para o DIÁRIO

Durante o 67º Campeonato Intercolonial Brasileiro de Tênis de Mesa, que será realizado nos dias 20, 21 e 22 de janeiro, no Ginásio Poliesportivo Professor Aecim Tocantins, no Complexo da Arena Pantanal, serão inseridos cerca de 925 mil reais na economia da capital mato-grossense. Valor estimado em gastos com a estrutura da competição e a hospedagem, alimentação e transporte, entre outros, de 900 pessoas. O público terá entrada gratuita!

De acordo com o presidente da Federação Mato-grossense de Tênis de Mesa (FMTTM), Sandro José Abrão, eventos esportivos exigem planejamento organizado e antecipado e impactam a sociedade de forma econômica, cultural e social. Segundo ele, um número considerável de turistas passará pela cidade-sede e movimentará a economia. Além disso, haverá intercâmbio de culturas entre os turistas de várias regiões do país com a população local.

“O Governo do Estado de Mato Grosso patrocinou parte dos 250 mil necessários para organizar o evento esportivo, considerado o maior da modalidade na América Latina. Os outros 675 mil são da estimativa de gasto de 900 pessoas. Estima-se o gasto médio de 250 reais por dia/pessoa. Será um evento de três dias para 400 atletas e mais 500 participantes, entre técnicos, árbitros, dirigentes, voluntários e familiares”, diz o presidente da FMTTM, Sandro José Abrão.

O Campeonato Intercolonial Brasileiro foi criado no ano de 1951 com o objetivo de fomentar a integração de japoneses e descendentes residentes no Brasil, mas atualmente os não japoneses também participam. O evento começou como confraternização e alcançou o alto nível técnico com a participação dos melhores mesatenistas da história do tênis de mesa brasileiro. Inclusive, a edição cuiabana contará com dois atletas ex-seleção brasileira, Silnei Yuta e Edson Takahashi.

Silnei Yuta foi membro da seleção brasileira na década de 90. Jogou profissionalmente por cerca de 30 anos, se tornou bi-campeão Pan-Americano por equipes na seleção brasileira (1991 em Havana e 1995 em Mar Del Plata) e foi por 17 vezes campeão do Intercolonial, em categorias individuais. E Edson Fumihiro Takahashi também defendeu a seleção brasileira na década de 90 e, por cerca de vinte anos, morou e deu aulas de tênis de mesa no Japão.

Parte dos equipamentos de tênis de mesa que serão utilizados no Intercolonial, como redes, suportes, separadores, piso, cadeiras de arbitragem, mesas de arbitragem e mesas de jogo, são oriundos dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Os apetrechos foram doados pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM), no fim do ano passado, para a Federação Mato-grossense de Tênis de Mesa (FMTTM) com o intuito de fomentar a modalidade em Mato Grosso.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:28 Governador diz que foi eleito para governar MT
20:27 Reitora da UFMT recebe alta e continuará tratamento em casa
20:26 Taques entrega 28 novos veículos para fiscalização
20:26 Marcel de Cursi deixa hospital e volta à prisão
20:25 Gallo caça os 200 maiores devedores


20:24 Valtenir e Galli disputam liderança
20:12 Homicida com três mandados é preso
20:10 Nove pessoas são presas por força de mandados
20:09 Acusados de assaltar fazendas são presos em Rosário Oeste
20:08 Novo modo nos assaltos a bancos
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015