Sábado, 18 de novembro de 2017 Edição nº 14650 11/01/2017  










COMÉRCIOAnterior | Índice | Próxima

Vendas do varejo sobem 2% em novembro ante outubro

DANIELA AMORIM
Da Agência Estado – Rio

As vendas do comércio varejista subiram 2% em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal, informou ontem, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio melhor que o teto do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 1,00% a alta de 1,40%, com mediana positiva de 0,30%.

Na comparação com novembro de 2015, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram baixa de 3,5% em novembro de 2016. Nesse confronto, as projeções iam de uma retração de 3,40% a 6,80%, com mediana negativa de 5,30%. As vendas do varejo restrito acumulam retração de 6,40% no ano e recuo de 6,50% em 12 meses.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 0,60% em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal. O resultado veio em linha com o teto das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde um recuo de 1,00% a um crescimento de 0,60%, com mediana negativa de 0,10%.

Na comparação com novembro de 2015, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 4,5% em novembro de 2016. Nesse confronto, as projeções variavam de uma retração de 10,90% a 4,60%, com mediana negativa de 5,70%.

Até novembro, as vendas do comércio varejista ampliado acumulam queda de 8,8% no ano e recuo de 9,1% e 12 meses.

O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito subiu 0,3% em novembro, informou o IBGE. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o índice de média móvel trimestral das vendas teve ligeira alta de 0,1% em novembro.

O IBGE também revisou o resultado das vendas no varejo em outubro ante setembro, de -0,8% para -0,3%. A taxa de setembro ante agosto saiu de -1,0% para -0,8%. Já o resultado de agosto ante julho passou de -0,8% para -0,7%, e o de julho ante junho saiu de -0,7% para -0,6%.

No varejo ampliado, houve revisão no resultado de outubro ante setembro, que saiu de -0,3% para -0,4%. A taxa de setembro ante agosto passou de 0,0% para 0,1%.

DESDE 2013 - A alta de 2,0% no volume vendido pelo varejo em novembro ante outubro foi o desempenho mais positivo desde julho de 2013, quando as vendas aumentaram 2,9%, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio.

Quando considerados apenas os meses de novembro, o varejo teve o melhor desempenho desde o ano de 2007, quando o volume vendido cresceu 2,3%. O resultado quase compensa a queda de 2,3% acumulada entre os meses de julho e outubro, ressaltou o IBGE.

Na passagem de outubro para novembro, cinco das oito atividades que compõem o varejo tiveram avanço nas vendas, segundo o IBGE. O principal destaque foi a alta de 0,9% em hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo.

Conforme o IBGE, os desempenhos destes segmentos em novembro indicam antecipações de compras para o Natal, movimento que se acentua a cada ano.

Outras contribuições relevantes para o avanço de 2% no varejo no mês foram dos outros artigos de uso pessoal e doméstico (alta de 7,2% em novembro ante outubro), móveis e eletrodomésticos (2,1%) e o setor de equipamentos de escritório, informática e comunicação (4,3%). Houve alta também em artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,6%).

Na direção oposta, houve perdas em tecidos, vestuário e calçados (-1,5%), livros, jornais, revistas e papelaria (-0,4%) e combustíveis e lubrificantes (-0,4%).

Considerando o varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, a alta de 0,6% nas vendas em novembro teve influência do setor de material de construção, que cresceu 7,2%. Já o segmento de veículos, motos e partes e peças recuou 0,3%.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:19 Estado consulta União sobre prazo
19:19 Aliados de prefeito confirmados em CPI
19:18 Ferramenta permitirá cidadão controlar gastos públicos
19:18 Inquérito de conselheiros do TCE vai para o STJ
19:18 Estado economizou R$ 1 bilhão em gastos


19:17 Dinheiro do FEX pode atrasar, diz Wellington Fagundes
19:17 Governo estuda ‘revender’ dívida
19:09 Bosaipo é condenado a 18 anos
19:09 BOA DISSONANTE
19:08 Família: a construção da vida
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015