Quinta feira, 14 de dezembro de 2017 Edição nº 14650 11/01/2017  










GARIMPO ILEGALAnterior | Índice | Próxima

Segurança em Pontes e Lacerda preocupa autoridades

Da Reportagem

Há quase duas semanas invasores passaram novamente a ocupar a Serra da Borda (também conhecida como Serra do Caldeirão) em Pontes e Lacerda (483 quilômetros de Cuiabá), para extração ilegal de ouro. Esta seria a terceira grande invasão e que já conta até mesmo com apoio de milícias e membros do Novo Cangaço. Um dos grandes impactos na região, segundo o secretário de Segurança Pública de Mato Grosso Rogers Jarbas, tem sido refletido no índice de violência na região. Segundo ele, nos últimos tempos, devido à atividade do garimpo houve o aumento de roubos e outros tipos de crimes em Pontes e Lacerda.

Rogers Jarbas confirmou que a situação gerou inclusive uma ação conjunta entre o Ministério Público Estadual em Pontes e Lacerda e Ministério Público Federal em Cáceres. Os órgãos entraram com uma ação civil pública pedindo ao Judiciário a condenação da União de todo o dano ocasionado em Pontes e Lacerda, desde o momento em que houve a primeira invasão. Todos os danos terão que ser ressarcidos. Ainda exigiram que a União mantenha ininterruptamente profissionais da Segurança Pública no garimpo.

O secretário lembra que a exploração começou desde 1991 e até hoje não houve uma solução. Nestes quase 26 anos, quem está sofrendo os impactos segundo ele, são os moradores de Pontes e Lacerda. “Agora que estamos vivenciando este problema, olha a mazela que foi causada à população: aumentaram os índices criminais, os roubos, aumentou fluxo criminoso lá porque o garimpo ilegal traz isso. Para cada grande invasão, aumenta a gravidade lesiva”, confirma.

Jarbas explica que esta invasão ocorreu do dia 30 para 31 de dezembro. A área foi ocupada por um grupo protegido por milícia armada que teria como integrantes até criminosos de roubo a banco. A ordem seria até mesmo de matar os policiais.

Rogers confirma que a polícia passou a estudar o que estava acontecendo lá para entender o cenário e foi feito um trabalho de inteligência. “Temos condição de imediatamente fazer a reintegração da área, mas não podemos só reintegrar porque eles voltam. No final do ano foram 20 prisões e no ano passado foram três grandes reintegrações”, lembra o secretário.

Rogers Jarbas frisa que já oficializou ao ministro da Justiça um pedido e colocou toda a Segurança Pública à disposição para uma ação integrada de reintegração. “O que eu reivindico é que feita a reintegração, ele mantenha força de segurança pública nacional cuidando daquela área, fazendo segurança e manutenção daquela área para não ocorrer novas invasões. Eu não posso tirar o policiamento de Pontes e Lacerda para lá, que é uma área da União porque quem perde com isso é o cidadão”, disse.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública confirmou que o efetivo da polícia que foi mandado para o local continua nos arredores do garimpo. Mas que a desintrusão segue no aguardo da resposta do Ministério da Justiça.(AA)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:37 Eduardo Botelho defende fim do foro privilegiado
19:37 Federal cumpre mandados em endereços de José Riva
19:36 Lucimar Campos diz que pesquisa mais a estimula
19:36 Senador aprova liberação do FEX para os Estados
19:36 Naco abre inquérito contra Silval e Savi


19:35 Emanuel Pinheiro tem reprovação de 61%
19:22 STF: 5 a 4 para vetar revisão de prisão
19:22 BOA DISSONANTE
19:21 Sem anistia e sem ‘bem-estar’?
19:21 O penhasco, a cabana e a previdência
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015