Sexta feira, 24 de fevereiro de 2017










EM MATO GROSSO 06/01/2017 14:30Anterior | Índice | Próxima

Pesquisadores buscam aumentar a produtividade dos maracujazeiros

Da Reportagem

Melhorar geneticamente o maracujazeiro azedo em Mato Grosso é um dos objetivos do pesquisador Willian Krause, doutor em genética e melhoramento de plantas, que com seu trabalho busca o fortalecimento da fruticultura em Mato Grosso. Há cerca de oito anos ele e sua equipe desenvolvem experiências na Unidade Experimental da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) em busca de cultivares de maracujazeiro azedo com maior produtividade.

Em Mato Grosso, a produção de maracujá, embora em expansão desde 2001, está longe de atingir os mesmos níveis de produtividade do Distrito Federal e do Espírito Santo que possuem atualmente a maior produtividade do fruto no país. O aumento da produtividade e, consequentemente, da renda dos produtores, será um incentivo maior para que mais produtores participem da atividade onde o Brasil é o maior produtor mundial, assim como também o maior consumidor.

Em seus experimentos o professor vem trabalhando com cultivares enxertadas em espécies silvestres de maracujá resistentes a fusariose. Os resultados obtidos até o momento confirmaram que a utilização de maracujazeiro azedo enxertado aumenta o tempo de sobrevivência das plantas no campo. No entanto, as metas de produtividade para o cultivo comercial ainda não foram atingidas. "A produção do maracujazeiro enxertado é menor em relação ao sem enxertia", apontou Krause.

A baixa produtividade em Mato Grosso está diretamente relacionada a fusariose que bloqueia o fluxo de água, provoca a murcha e posteriormente a morte das plantas. "A fusariose ocasiona perdas expressivas na produtividade, bem como reduz a vida útil do maracujazeiro", aponta o pesquisador. Outra importante razão, segundo Krause, "seria o fato que nenhuma dessas cultivares foi desenvolvida para o Mato Grosso e, em razão da interação genótipo x ambiente, elas podem não ser totalmente adaptadas às condições de plantio no Estado".

Na busca pela cultivar ideal o projeto "Melhoramento genético visando o desenvolvimento de cultivares de maracujazeiro azedo e de porta enxerto resistente a fusariose", coordenado por Willian Krause, foi aprovado pelo edital Fapemat nº 037/2016, de apoio a Programa de Redes de Pesquisa. Pelos próximos três anos, oito pesquisadores da Unemat, um da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UNFE) e outro da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) de Sinop estarão envolvidos no projeto. (Hemília Maia/Unemat)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:30 Taques agilizará obra do pronto-socorro
20:29 Gabinete de Transparência e PGE passam a integrar Rede de Controle
20:29 Presidente da Câmara quer verba indenizatória de 200%
20:28 Chico Lima será ouvido por comissão processante na PGE
20:28 OAB faz ato de protesto contra juíza Selma


20:28 Paulo Taques acredita em negociação
20:28 Paulo Prado diz que pagamento de atrasado em 2018 é ‘inconcebível’
20:10 Hoje é o último dia para se matricular na rede estadual
20:10 Quatro messorregiões de Mato Grosso serão afetadas
20:10 Autorização para operar em Cuiabá vale até o fim do ano
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015