Terça feira, 25 de setembro de 2018










SOS ESCOLAS 27/12/2016 14:31Anterior | Índice | Próxima

Canal de comunicação acelera reformas e reparos na rede estadual

Da Reportagem

Criado há pouco mais de um mês, o SOS Escolas, canal de comunicação pelo qual toda a comunidade escolar pode informar e denunciar problemas de infraestrutura nas unidades, já recebeu mais de 60 chamados e aumentou a celeridade dos processos abertos para realização de pequenas reformas das escolas.

Como um suporte ao SOS Escolas, a Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc-MT) também criará uma equipe para pequenos reparos, que irá auxiliar as unidades em 2017.

No último mês de novembro, a Seduc criou o SOS Escolas como um projeto-piloto, justamente para desburocratizar os processos de abertura de chamados e dar agilidade aos atendimentos às escolas. Reparos em instalações hidráulicas e elétricas, conserto de muros e telhados, entre outros problemas, entram no escopo da equipe.

Apesar de passar a funcionar no final do ano letivo, os 63 chamados recebidos foram respondidos, encaminhados e direcionados para as superintendências responsáveis.

Conforme a superintendente de Obras e Manutenção da Seduc, Auriele Mazzer Marques, por conta dos trâmites legais, as verbas emergenciais demoram até três meses para chegar às escolas. Esse prazo atrapalhava, e muito, a vida dos alunos e educadores.

“Com o SOS Escolas, temos um canal de comunicação direto com a escola, o que nos permite identificar inclusive o que é mais prioritário. A partir daí, definimos as formas de resolver cada problema de maneira prática e rápida”.

De acordo com a superintendente, muitos dos problemas são resolvidos apenas com orientações dadas aos gestores sobre como administrar melhor os recursos, ou mesmo com simples dicas de manutenção.

“Nem todas as ocorrências requerem verbas emergenciais, e isso significa uma economia de tempo e de recursos da máquina pública”, afirma.

Segundo Auriele, por meio da ferramenta é possível relatar situações em que a estrutura física de uma escola encontra-se comprometida e solicitar A visita técnica da equipe da Secretaria-Adjunta de Obras e Estrutura Escolar.

“Nós sentíamos a necessidade desse canal que, além de ajudar as escolas, também auxilia no mapeamento das reais necessidades das unidades em todo o Estado. Assim, conseguiremos planejar as ações e otimizar os recursos”.

A superintendente ressalta que muitos chamados recebidos não são referentes a obras e sim a outros setores da Seduc. Nesses casos, as ocorrências também são encaminhas para serem resolvidas pelos setores responsáveis.

Equipe de manutenção - Para 2017, a Secretaria tem a expectativa de criar equipes específicas para realizar pequenas manutenções e reparos das unidades escolares. Essa equipe deverá auxiliar nas tomadas de preços, editais e orçamentos dos projetos, para facilitar a resolução dos problemas em tempo hábil, sem um gasto maior de recursos.

Acesso pelo portal - Para acessar o canal de comunicação, basta acessar ao portal da Seduc e clicar no link SOS Escolas, localizado no menu do lado esquerdo do portal. Em seguida, é necessário preencher alguns dados, como nome e telefone ou, se o solicitante preferir, há a opção “anônimo”, em que nenhuma informação pessoal é requisitada.

O informante deve classificar a natureza do contato como solicitação, reclamação, sugestão ou denúncia e relatar a situação. Para deixar a informação mais completa, os usuários também podem incluir fotos aos chamados.

As mensagens são automaticamente encaminhadas à equipe técnica da Seduc, que toma conhecimento da situação e decide como proceder, conforme o caso.

Estrutura - Mato Grosso possui 759 escolas estaduais distribuídas por todos os 141 municípios. Aproximadamente 70% das unidades foram construídas há mais de 30 anos, sendo que boa parte nunca recebeu reparos ou reformas completas.

Nos últimos quatro meses foram realizados mais de 100 atendimentos em escolas de todo o Estado, como fiscalizações, vistorias e levantamento de dados para elaboração de projetos. Além disso, a Seduc liberou aproximadamente 30 verbas emergenciais, no valor de R$ 14,5 mil cada, nesse período. Caso necessário, as escolas podem solicitar à Seduc esse recurso para reparos e consertos. (Gustavo Nascimento/Seduc-MT)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:10 25 - têrça-feira Violência e política
20:10 BOA DISSONANTE
20:08 Dívida pública e privatização
20:08 Os joões no poço
20:08 A hora da verdade


20:07 A segurança da urna eletrônica
20:07 ‘Bicha’ virou o Bicho
20:06 Plataforma gratuita semelhante à Netflix reúne ensaios literários de intelectuais
20:06
20:05 "A Parábola do Semeador" , a viagem de Butler
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018