Quinta feira, 22 de agosto de 2019 Edição nº 9917 09/04/2001  










Anterior | Índice | Próxima

Lado emocional dos jogadores do Santos preocupa Geninho

RODRIGO GARAVINI
Da Agência Folha – Ribeirão Preto, SP

Após a apertada vitória sobre a Matonense, por 5 a 4, sábado, o técnico do Santos, Geninho, admitiu estar preocupado com a estabilidade emocional de seu time.

Segundo o treinador, uma equipe que consegue um placar de 4 a 0 - como foi o caso do Santos - pode tomar até dois gols, mas ainda tem condições de administrar o jogo. “Quando a Matonense fez o seu segundo gol, parece que apagaram a luz dentro de campo. Se o time tem estabilidade emocional, ele administra uma situação dessas", disse.

Geninho também criticou o setor de marcação de sua equipe, que, de acordo com ele, foi o principal responsável pelos gols da Matonense. “Agora, vamos conversar durante a semana para tentar corrigir essas falhas", disse Geninho.

Até os 11min do segundo tempo, a equipe santista vencia o jogo por 4 a 0, mas permitiu uma surpreendente reação da Matonense, que chegou a empatar o jogo em menos de 15 minutos.

Além do quinto gol “salvador" do meia Renato, no final do jogo, o time da Vila Belmiro contou ainda com duas grandes defesas do goleiro Fábio Costa, que impediu a virada da equipe de Matão.

Coincidência ou não, o Santos tomou os quatro gols após a substituição do meia Robert pelo atacante Dodô.

Robert, que ainda se recupera de uma fratura na costela, era um dos principais armadores da equipe santista na partida. O meia articulava boas jogadas e ditava o ritmo de jogo no meio de campo.

“A saída do Robert foi por causa da contusão na costela, não por uma opção tática. Mas não acredito que a mudança foi responsável pelos quatro gols da Matonense. Culpo o relaxamento da nossa equipe", declarou o técnico santista.

Assim como o treinador, Robert concorda que houve falta de atenção dos zagueiros durante a investida da Matonense. “O time pensou que o jogo já estava ganho e começou a abrir espaço para os adversários. Graças a Deus marcamos o quinto gol", afirmou o jogador.

Um dos jogadores mais contentes após o resultado obtido pelo Santos em Matão era o meia Renato, autor do quinto e decisivo gol santista, aos 39min do segundo tempo.

Entretanto, segundo ele, houve falta de atenção do time durante a partida. “Nossa equipe cedeu muito espaço para a Matonense finalizar, e eles foram felizes nos chutes a gol."

Renato preferiu não comentar a polêmica em torno do lance que originou o seu gol - segundo a Matonense, a falta, apitada pelo árbitro Robério Pereira Pires a favor do Santos, foi sofrida pelo jogador do time de Matão. “Foi muito importante ter feito esse gol", disse o meia.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:18 Saúde e Segurança mostram dificuldades
18:49 Maggi critica Governo Bolsonaro
18:49 BOA DISSONANTE
18:48 O ônibus, o sequestro e a segurança
18:47 Reflexões da vida


18:47 Um espetáculo atrás do outro
18:47 A complexidade do saneamento
18:46
18:46 Ingerências preocupantes
18:45 Biógrafo de Roberto Marinho terá que devolver R$ 200 mil à Companhia das Letras
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018