Sábado, 18 de novembro de 2017 Edição nº 13691 03/09/2013  










REDE ESTADUALAnterior | Índice | Próxima

Sem consenso, greve continua

Da Reportagem

Em uma reunião que durou mais de 3 horas, o governo do Estado anunciou que não tinha condições financeiras de atender a reivindicação dos professores, que estão em greve há 23 dias. Por este motivo, os 450 mil alunos da rede estadual vão continuar sem aulas.

Em sinal de protesto, aproximadamente 50 servidores montaram um acampamento ao lado do Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT-MT), em Cuiabá.

O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), por meio da assessoria de imprensa, informou que apesar de longa a reunião, o governo não apresentou nenhuma proposta concreta em relação as reivindicações da categoria, entre elas o reajuste salarial e a ampliação dos investimentos em educação.

De acordo com a assessoria da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o governador continua aberto ao diálogo e pediu que a comissão de educação, formada recentemente pela gestão estadual, trabalhe com urgência para o fim da paralisação.

Outra reunião entre os deputados da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa e representantes dos profissionais foi marcada para às 9 horas da manhã de hoje (3).

De acordo como Sintep, por volta mais de 90% dos educadores do Estado aderiram ao movimento. Os grevistas pedem que o governo dobre o poder de compra dos educadores em sete anos, realize concurso público imediatamente e faça o chamamento dos classificados do último concurso (feito em 2010).

Os servidores pedem que a hora-atividade seja paga aos interinos, bem como melhoria na infraestrutura das escolas e aplicação de 35% dos recursos estaduais no setor, como prevê a Constituição Estadual.

Estavam presentes na reunião o governador Silval Barbosa, o secretário de Educação do Estado, Ságuas Moraes, deputados estaduais e representantes das secretarias de Fazenda e Administração do Estado.

PROTESTO – Aproximadamente 1,5 mil educadores realizaram mais um ato público contra o governo na tarde desta segunda-feira, em Cuiabá. Eles se concentraram em frente ao monumento Ulisses Guimarães na avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA). Metade do público era formada por profissionais que residem no interior. (GN)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Mato Grosso é um Estado mui rico, arreca  - irzair




19:19 Estado consulta União sobre prazo
19:19 Aliados de prefeito confirmados em CPI
19:18 Ferramenta permitirá cidadão controlar gastos públicos
19:18 Inquérito de conselheiros do TCE vai para o STJ
19:18 Estado economizou R$ 1 bilhão em gastos


19:17 Dinheiro do FEX pode atrasar, diz Wellington Fagundes
19:17 Governo estuda ‘revender’ dívida
19:09 Bosaipo é condenado a 18 anos
19:09 BOA DISSONANTE
19:08 Família: a construção da vida
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015