Terça feira, 17 de setembro de 2019 Edição nº 13503 15/01/2013  










JOSÉ ANNES MARINHOAnterior | Índice | Próxima

Você é ou não sustentável?

Em tempos de mudanças e preocupações com o meio ambiente, ouvimos todos os dias que somos altamente sustentáveis. Será que isso é verdade? Muitas empresas e pessoas dizem ser participes da sustentabilidade, mas o que seria isso?

De acordo com a Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente, sustentabilidade significa atender às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das gerações futuras atenderem às suas próprias necessidades. Nada mais que proteger o planeta para as nossas próximas gerações.

Bom, agora vamos aos fatos: somos ou não sustentáveis? Na minha visão ainda estamos muito distantes de sermos plenamente sustentáveis. Temos belos exemplos: é verdade! Veja no campo o exemplo dado ao mundo na destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas; a incorporação do plantio direto em grande parte do nosso país que controla a erosão e sequestra o CO2; entre outros. Estes são alguns exemplos.

No entanto, ainda precisamos evoluir! Grandes produtividades sempre são bem-vindas, pois ajudam o país a crescer. Em 40 anos nos tornaremos (se São Pedro ajudar na safra 2012/2013) o maior produtor de soja do mundo - essa mesma soja que alimentará milhares de pessoas.

Como assim a soja? É isso mesmo. É a soja que produz óleo, que serve de alimento para milhares de animais e que, por sua vez, tornam-se proteína em grande parte de nossas refeições todos os dias. No entanto, grandes paradigmas ainda precisam ser vencidos: não somente no campo, como também nas cidades.

Nós, por exemplo, abriríamos mão de utilizar carros, aviões, construir estradas, produzir alimentos orgânicos (onde há revolvimento do solo e uso de esterco), ou produzir alimentos convencionais: estes que utilizam defensivos e fertilizantes. Tudo isso gera desequilibro e cabe a nós, seres humanos, minimizarmos estes impactos para que possamos ter resultados que equilibrem em partes a natureza e o que ela pode nos dar.

Diante de todas estas possibilidades, vocês acreditam que somos sustentáveis ou temos um discurso que queremos chegar lá? Acredito que se olharmos de forma geral, estamos bem longe disto. Mas quem sabe os bons exemplos possam ser seguidos: onde todos começam a mudar as atitudes, a respeitar os opostos, a discordar com ética e a valorizar as pessoas.

Talvez este seja o nosso maior medo e desafio: entender que nada nesse mundo se faz sozinho e que muitos de nós ainda passam dificuldades: fome, miséria e que, para mudarmos isso e sermos sustentáveis, precisaremos dar valor as pessoas, valores e atitudes, muitas vezes esquecidos.

Quem sabe se voltássemos as nossas origens ou até mesmo a sermos crianças (livres de paradigmas), poderemos mudar e ajudar mais. Amigos, pensem nisso: ser sustentável hoje é para poucos, mas ainda pode ser para muitos. Se mudarmos e pensarmos como grupo e como líderes, quem sabe poderemos fazer algo diferente, pois como disse Paulo Coelho "Imaginem uma nova história para sua vida e acredite nela". Assim poderemos mudar e buscar a sustentabilidade em todos os lugares do planeta.



* JOSÉ ANNES MARINHO, engenheiro agrônomo, gerente de educação da Associação Nacional de Defesa Vegetal – Andef



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· TODA A PESSOA ESTUDADA SABE SER RESPONS  - ODETTE




21:08 BOA DISSONANTE
21:08 ERRAMOS
21:07 Integração ainda não é para todos
21:07 Um novo Alencastro? Servidores querem
21:06 Quem ama, não mata!


21:06 Como garantir boas vendas no varejo
21:06 Rico Estado pobre
21:05 O quê da tarifa
21:04 Estimula produção de conteúdo nacional
21:04
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018