Segunda feira, 10 de dezembro de 2018 Edição nº 13325 03/06/2012  










SELVA DE PEDRAAnterior | Índice | Próxima

O mito da Cidade Verde

Pesquisa do IBGE revela que apenas 39% das moradias cuiabanas estão localizadas em vias com arborização

TCHÉLO FIGUEIREDO/DC
Rua sem arborização adequada no bairro Grande Terceiro, em Cuiabá: falta de verde eleva o calor
JÉSSICA BENITEZ
Da Reportagem

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre Cuiabá desfazem o mito da “Cidade Verde”. Segundo o órgão, das 159.320 moradias regulares da Capital, apenas 63.123 – ou 39% do total - estão em ruas com arborização.

Por sua localização, a capital mato-grossense já oferece um clima quente - e com a ausência de árvores a situação se agrava ainda mais.

É o que explica o biólogo mestre em Ecologia e Conservação da Biodiversidade e professor da Universidade de Cuiabá (Unic), Fernando Henrique Barbosa da Silva. “A função vegetal está ligada diretamente ao clima. E mesmo no perímetro de apenas uma cidade existem vários microclimas diferentes, ou seja, uma só árvore pode fazer a diferença”.

Em locais com alta quantidade de asfalto, concreto, movimentação de carros e pessoas, o microclima costuma ser mais elevado devido à maior captação de energia solar. Por isso, a conscientização da população é determinante para melhorar temperatura da região onde se vive. Quanto mais verde, mais qualidade térmica, independente se no bairro vizinho tem ou não árvores.

“Não anula a importância de todos agirem em prol da natureza, mas aquele pensamento que diz ‘por que vou fazer se os outros não fazem?’ acabou”. Na opinião do docente, não se trata de uma perda de consciência porque somente há 40 anos a responsabilidade ambiental começou a se fortalecer e a “educação verde” até hoje não está de fato construída.

“O que realmente faz a diferença são exemplos na prática. Ações de conscientização efetiva, com base e conhecimento. Ninguém respeita o que não conhece, então é preciso saber a verdadeira função da natureza. Saber que uma árvore é um ser vivo e tratá-lo como tal”, explica Fernando.

Mas a culpa não é apenas do poder público. Por lei todo imóvel urbano deve ter 20% de reserva legal. A norma muitas vezes não é cumprida e, quando é respeitada, o morador opta por manter a área apenas gramada, sem árvores. É o que explica o engenheiro civil e assessor da presidência do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura de Mato Grosso (CREA-MT), Arquimedes Pereira Lima Neto.

“Essa reserva é essencial para o escoamento da água da chuva nas casas. A grama é com certeza melhor que o concreto. Mesmo assim ter árvore é mais eficiente. Sua raiz infiltra água no solo com facilidade, sem contar a função das frutíferas para com os animais e outros benefícios que vão muito além da sombra de uma boa copa”.

Nas calçadas, o ideal é ter uma árvore a cada cinco metros. E só perante autorização do município é permitido retirá-las do local onde estão fixadas sob a condição de plantar outras duas mudas no mesmo perímetro.

Arquimedes ainda esclarece que a ausência de arborização está ligada à redução de espaço nos imóveis comercializados atualmente. Com o metro quadrado cada vez valorizado, o cidadão não quer “gastar” espaço reservando área verde.

Na opinião do engenheiro sanitarista e ambientalista atuante na Ouvidoria do Crea, Jesse Barros, a responsabilidade maior é do poder público. “Falta incentivo por parte do município. Ações simples como dar descontos no valor do IPTU aos cidadãos que plantarem árvores em casa, por exemplo, já minimizaria grande parte do problema”, afirma.

Outra solução ilustrada pelo engenheiro sanitário seria uma campanha incisiva de distribuição de mudas em cada residência com explicações sobre quais espécies são ideais para o plantio urbano, evitando aquelas que ao crescer quebram as calçadas e enroscam seus galhos nos fios de eletricidade.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· É falta de responsabilidade ambiental do  - Ingo Degenhard
· Na verdade esta questao da falta de arbo  - Juacy da Silva
· Putz.. precisa do IBGE pra isso virar no  - Antonio
· De que vale ter o HORTO FLORESTAL inope  - edson cassimiro
· Nossa!!! Esta foto que vcs colocaram aí   - Roberto
· Achava que com a escolha de Cuiabá para   - Mainardo Aragao
· Os discursos são sempre os mesmos. Des  - Lucelio Costa
· Infelizmente nossa cidade está cada vez   - Hermison Levi




18:45 Neurilan Fraga é reeleito para comandar a AMM
18:45 Seis advogados disputam vaga de juiz titular do TRE
18:45 DEM se reúne com Mauro Mendes na próxima semana
18:44 Taques regulamenta mudanças no Prodeic
18:42 Governo define escalonamento até segunda-feira


18:14 Festa da literatura mato-grossense
17:52 MP pede reprovação das contas da deputada Janaína
17:52 BOA DISSONANTE
17:51 Juízes e delegados globalizados
17:50 Desserviço
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018