Quarta feira, 14 de novembro de 2018 Edição nº 13198 30/12/2011  










SÃO SILVESTREAnterior | Índice | Próxima

Novo trajeto deixa favoritos em dúvida

A largada do pelotão masculino será a partir das 17h (de Brasília). Os quenianos Kisorio Matthew e Martin Lel figuram entre os favoritos ao título


Marílson, tricampeão da São Silvestre, rechaçou o favoritismo na edição atual
São Paulo

O novo trajeto da São Silvestre, apesar da distância ser a mesma, traz dúvidas aos favoritos que disputam a tradicional prova do dia 31, amanhã. Afinal, ninguém está acostumado aos novos 15 quilômetros do percurso. Após 30 anos, a São Silvestre não terá mais a sua chegada na Avenida Paulista.

O trajeto da São Silvestre foi alterado em 2011 para que a premiação não atrapalhe a festa de Réveillon na Paulista. Cerca de 6.500 pessoas, entre funcionários da prova, agentes de trânsito e policiais, trabalharão na corrida. A largada do pelotão masculino será a partir das 17h (de Brasília). Os quenianos Kisorio Matthew e Martin Lel figuram entre os favoritos ao título.

O corredor brasileiro Marílson dos Santos, tricampeão da São Silvestre, prova de rua mais tradicional do país, rechaçou ontem o favoritismo na edição atual. O atleta falou sobre a mudança de trajeto em relação aos anos anteriores e se disse "um dos mais prejudicados".

"Depois do Pan-Americano não competi mais. Até queria competir, mas não tive tempo. Quando você corre uma ou duas vezes, se sente melhor, vê o que falta, faz uma avaliação. A preparação foi quase a mesma, mas fiquei um pouco mais atrasado. Tive mais competições, maratonas, Jogos Pan-Americanos. Isso acabou retardando a volta aos treinos. Não estou tão bem quanto eu queria estar", declarou.

"Com relação ao percurso, acho que fui um dos mais prejudicados. Entre as sete São Silvestres que fui pódio, eu tinha um conhecimento muito grande do percurso. Era uma vantagem que eu tinha e vou deixar de ter. O fato de ter mudado o percurso dificultou mais ainda. Agora todo mundo sai do zero, ficou mais equilibrado", finalizou.

MULHERES

Na prova feminina, a grande favorita é a também queniana Alice Timbilili, vencedora no ano passado. Para quebrar o domínio das africanas, que levaram as quatro últimas edições da prova (três atletas do Quênia e uma da Etiópia), a brasileira Lucélia Peres está recuperada de contusão no calcanhar e busca mais uma medalha - ela foi campeã em 2006.

Uma das esperanças de vitória brasileira na 87ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre, Marily dos Santos aprovou o novo percurso da prova.

"O percurso é a grande motivação. Ter mais descida, principalmente depois de uma longa subida, é bom, pois é um tipo de relevo que torna a disputa mais emocionante, sem favoritas, sejam elas estrangeiras ou brasileiras. Qualquer atleta pode surpreender", disse Marily, que já conseguiu um terceiro lugar na São Silvestre de 2008 - ficou na sétima posição no ano passado.

Além de Marily, outras fortes candidatas do Brasil à vitória na São Silvestre deste ano são Adriana Aparecida da Silva, Lucélia de Oliveira Peres, Maria Zeferina Baldaia, Conceição Oliveira e Cruz Nonata.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:02 Produtores não descartam protestos na Capital
18:01 Servidores públicos vão voltar a trabalhar 8 horas por dia
18:01 Sem RGA, servidores vão paralisar as atividades por 24 horas
18:01 Ex-secretário de Administração Geraldo de Vitto é condenado
18:01 Mauro Mendes pede corte aos Poderes


17:46 Nossa! Minha cidade sumiu
17:45 Neri Geller é`Preso por fraude no Ministério da Agricultura
17:45 BOA DISSONANTE
17:44 O recado foi dado
17:43
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018