Segunda feira, 23 de outubro de 2017 Edição nº 13187 16/12/2011  










Anterior | Índice | Próxima

Rede Cemat diz que obedece normas da Aneel

Especial para o Diário

Procurada para comentar o projeto que livra os inadimplentes de ter o fornecimento de energia cortado, a Rede Cemat deu uma resposta diplomática. Ressaltou o fato de que é uma empresa concessionária e, por isso, deve seguir orientações somente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) - e preferiu não se posicionar sobre o referido projeto de lei, já que ele seria uma determinação estadual. No entanto, a empresa reconhece que a Assembléia Legislativa tem toda autonomia para criar leis como essa.

Uma vez em vigor e a empresa fornecedora descumpra a lei, o projeto daria ao consumidor o direito de reparação pelos danos sofridos. Ou seja, a responsável pelo fornecimento, no caso a Cemat, seria multada de acordo com a perda sofrida pelo usuário.

Segundo a funcionária pública Maria Aparecida, de 42 anos, essa medida beneficiaria pessoas de classe social mais baixa. Ela acredita que, mesmo com a proibição do corte de energia dos devedores, as pessoas honestas e de bem vão continuar a quitar as suas dívidas normalmente. “Tem gente que vai gostar, mas tenho certeza que as pessoas que realmente são honestas não vão deixar de pagar a conta todo mês”, diz.

O chefe de fiscalização da Procon, Ivo Vinicius Firmo, acredita que as empresas fornecedoras dos serviços essenciais têm outros meios de cobrar o consumidor sem cortar o fornecimento. “Não somos contra a medida de forma alguma”, afirma.

Para Ivo, antes de cortar a luz a empresa poderia primeiramente negativar o nome do devedor e, caso isso não resolva, partir para a Justiça. E se mesmo assim a pessoa continuar em débito, aí sim suspender o serviço. O documento está sendo analisado pelas Comissões Processantes da Assembléia Legislativa e pode ir à votação no ano que vem, após o recesso parlamentar. (KA)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:39 Adicional de R$ 3,50 deve ser mantido
19:38 Chuvas se espalham pelo país a partir de agora
19:38 Nova unidade fortalece princípios
19:38 Combustíveis puxam primeira alta do IPCA-15 em 12 meses
19:37 Superprodução e receita opostas em MT


19:37 Mercado se volta para o Brasil
19:36 Oscar Bezerra quer decisão da AL
19:36 Juiza Selma reinterrogará José Riva em fevereiro
19:36 Sachetti evita comentar futuro político
19:35 Justiça notifica Executivo por atrasos
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015