Domingo, 28 de maio de 2017 Edição nº 13136 14/10/2011  










SHOWAnterior | Índice | Próxima

Zé Ramalho e sua Caixa de Pandora

Há três décadas ele conquistou seu espaço entre os mitos da MPB. Com sua figura singular e seu vozeirão marcante, se apresenta hoje em Cuiabá

Martha Baptista
Da Reportagem

Faz tempo que Zé Ramalho está na estrada: desde o lançamento de seu primeiro álbum solo, que emplacou o sucesso “Avohai”, há três décadas, esse paraibano conquistou seu espaço no panteão dos mitos da MPB, com sua figura singular e seu vozeirão marcante.

Nesta sexta-feira, Zé Ramalho desembarca em Cuiabá com sua “caixa de Pandora” - um mito grego que narra a chegada da primeira mulher à Terra e, com ela, a origem de todas as tragédias humanas. A história de Pandora e sua caixa é longa e interessante: ao abrir o presente que continha todos os males do mundo, a primeira mulher conseguiu fechá-la antes que a esperança pudesse sair. Essa metáfora foi a maneira encontrada pelos gregos para representar conceitos relacionados à natureza feminina, como a beleza, a sensualidade e o poder de dissimulação e de destruição, de acordo com Fernando Segolin, professor de Literatura da Pontifícia Universidade Católica (PUC), de São Paulo.

Mas o que Zé Ramalho traz em sua “caixa de Pandora”? Em seu blog (www.blognotasmusicais.blogspot.com),o jornalista carioca Mauro Ferreira dá algumas pistas: “Em rotação pelo Brasil ao longo deste ano de 2011, o azeitado show ‘A Caixa de Pandora’ toma emprestado o nome do box de quatro CDs e um DVD lançado por Zé Ramalho em dezembro de 2010 com fonogramas raros de sua discografia. Contudo, o roteiro do show - que chegou ao Rio de Janeiro (RJ) na noite de 8 de outubro em eletrizante apresentação que encheu a casa Vivo Rio - é formado essencialmente por sucessos. A única exceção foi a pouco conhecida ‘Companheira de Alta Luz’ (Zé Ramalho e Fausto Nilo, 1998). O cantor e compositor paraibano deleita seu fiel público com banquete de hits próprios e alheios”.

O roteiro do show que será apresentado no Centro de Eventos do Pantanal esta noite inclui a interpretação bem pessoal do maior sucesso de Gonzaguinha, o samba “O que é, o que é”; “Caminhando” de Geraldo Vandré, o grande hino da geração que lutou contra a ditadura militar nas décadas de 1970 e 80; uma versão de uma canção do ícone da contracultura norte-americana, Bob Dylan, “Amanhã é distante”; e um clássico de outro ídolo da contracultura (desta vez, da brasileira), Raul Seixas: “Eu nasci há 10 mil anos atrás” (em parceria com o “bruxo” Paulo Coelho).

Da safra do próprio Zé Ramalho, serão interpretados “Avohai”, “Frevo Mulher”, “Admirável Gado Novo” e “Chão de Giz”, entre outros sucessos. Zé Ramalho apresenta-se no show acompanhado da Banda Z.

GRANDE ENCONTRO

Zé Ramalho ultrapassou a barreira de um milhão de discos vendidos, com o êxito fenomenal de “Entre a Serpente e a Estrela”, que fez parte da trilha sonora de uma novela da Rede Globo. Sua história com a dramaturgia televisiva sempre rendeu grandes frutos, incluindo o fenômeno de retornar às paradas de sucesso com uma mesma música, “Admirável Gado Novo”, incluída na trilha da telenovela global “O rei do gado”, conectando o artista à juventude brasileira e fazendo o CD da novela vender três milhões de cópias - um recorde que permanece inalcançável.

Ao lado dos amigos Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Alceu Valença, Zé protagonizou em 1996, um dos projetos mais bem sucedidos da música brasileira, “O Grande Encontro”, que reuniu multidões nos shows em todo o país e gerou o lançamento de um disco ao vivo, vendendo mais de 500 mil. A continuação do projeto, rendeu outras duas turnês vitoriosas, um CD de estúdio e outro gravado ao vivo, que alcançaram a marca de 480 mi unidades, e Zé realizou ainda uma apresentação histórica no Rock in Rio 3, assistida por mais de 50 mil pessoas em 2001, junto com Elba Ramalho.

O álbum “20 anos – Antologia Acústica” é seu maior êxito comercial até hoje, com aproximadamente dois milhões de cópias vendidas e vencedor do Prêmio Sharp como melhor projeto gráfico. Este disco deu início a uma trilogia que seguiu com “Nação Nordestina”, um mapeamento da história musical e política da sua região natal, indicado ao Grammy Latino de melhor álbum regional e “Estação Brasil”, um passeio pelo cancioneiro nacional. (com assessoria)

SERVIÇO

O QUE: Show “A Caixa de Pandora” com Zé Ramalho e Banda

ONDE: Centro de Eventos do Pantanal

QUANDO: hoje (sexta-feira), às 23h30 (os portões abrem às 21h)

QUANTO: Venda de ingressos na Casa de Festas do Shopping Goiabeiras e da Galeria Itália, pelo site www.eritonbezerra.com.br ou pelo telefone (65) 3624 7200



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:09 Gaeco analisa investigação interna sobre grampos
20:09 Taques convoca coronel da reserva para conduzir IPM
20:08 Marcelo Duarte e o desafio de construir 100 pontes
20:08 Taques libera R$ 70 milhões para Saúde
20:08 Eduardo Botelho defende uso do Fethab na Saúde


20:08 Gilmar Fabris denuncia ex-diretor de hospital
20:07 Sindicalistas reclamam de falta de diálogo
20:07 Governo propõe pagar em três parcelas
19:54 Moody's altera perspectiva do rating
19:53 Empresas com Sise poderão aderir ao sistema federal
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015