Sexta feira, 24 de novembro de 2017 Edição nº 12858 07/11/2010  










LAVOURASAnterior | Índice | Próxima

Má-formação e pesticidas

Consumo de agrotóxicos em MT pode ser a causa do aumento de crianças nascidas com lesões congênitas como lábio leporino


Professor da UFMT diz que pesquisa já constatou incidências em Sinop, Tangará, Rondonópolis, Canaran e Água Boa
RENÊ DIÓZ
Da Reportagem

Mato Grosso está vivendo um problema grave e quase velado de saúde pública que começa nas lavouras e só se manifesta nos berçários. Os litros e litros do maior consumo de agrotóxicos por estado no país estão sendo, em parte, responsáveis por más-formações congênitas em nossas crianças como fissuras labiopalatinas (lábio leporino, por exemplo), cujas cicatrizes às vezes podem impactar toda uma vida.

Enquanto o número de casos no SUS assusta, na UFMT uma pesquisa pioneira começa a demonstrar com números a relação entre os agrotóxicos e a incidência de más-formações.

Em Cuiabá, o Hospital Geral Universitário (HGU) é responsável pelo único serviço de reabilitação de más-formações congênitas classificado em Mato Grosso como referência pelo Ministério da Saúde e premiado pela Fundação Banco do Brasil. À frente do serviço, a coordenadora Kátia Tavares Serafim se diz assustada com tantas crianças acometidas pelas lesões congênitas – em cinco anos de serviço, a maioria das cerca de 980 crianças tratadas cirurgicamente vem de áreas de lavouras.

Há diversos fatores que podem produzir más-formações numa criança nos primeiros três meses de gestação, como distúrbios hormonais, falta de vitamina A, alguns medicamentos utilizados pela mãe e a exposição dela a radiação ou agrotóxicos. Em Mato Grosso, não se pode ignorar o peso deste último fator para os danos, uma vez que 20% do produto utilizado no Brasil - o maior consumidor - são despejados aqui.

“É um problema de saúde pública, e de alta complexidade”, sentencia Kátia. Quando a criança com fissuras labiopalatinas sobrevive, carece de uma gama de serviços especializados, como cirurgia plástica, otorrinolaringologia, odontologia e fonoaudiologia. Também necessita da psicologia, pois, fora a depressão pós-parto na mãe, a pessoa com a má-formação passa na vida por obstáculos imensuráveis pelas dificuldades para falar, ouvir e pela própria insegurança, que se manifesta com força na adolescência. As cicatrizes, por menores que sejam, viram estigmas. “É muito triste a situação psicológica deles”.

PESQUISA - Até o momento, não há dados específicos sobre a relação entre os agrotóxicos e as más-formações em Mato Grosso, mas uma pesquisa de mestrado em Saúde Coletiva orientada pelo professor Vanderlei Pignatti, da UFMT, está começando a trazer alguns números.

Embora ainda esteja em andamento, a pesquisa já constatou (preliminarmente) cidades com incidências de más-formações acima da média estadual: Sinop, Tangará da Serra, Rondonópolis, Canarana e Água Boa. A pesquisa contará com exames de sangue nas crianças, tal como a FioCruz já realizou (e encontrou traços de agrotóxicos no sangue de moradores de Campo Verde e Lucas do Rio Verde). Para Pignatti, não se pode ignorar a exposição das mães aos agrotóxicos nas lavouras para implementar políticas públicas contra o problema. Inclusive quando se sabe que 14 dos principais agrotóxicos utilizados no Brasil já foram proibidos em toda a União Européia, Estados Unidos e Canadá desde 1985 por conta do risco à saúde humana. Já a Agência Nacional de Vigilância Sanitária é vagarosa: proibirá apenas em 2013 o principal inseticida de nossas plantações, o barato e altamente tóxico endosulfan.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· é lamentável, mas de uma realalidade cru  - Raimundo Nonato C da Silva
· A primavera Silenciosa de Raquel Carson   - Alexandro Rodrigues Ribeiro
· Mas uma pesquisa que está no início e já  - Antonio Werner
· FOI ASSIM NO SUL E VAI SER ASSIM EM MATO  - Leo




19:43 Antonio Joaquim volta a atacar governador Taques
19:43 Governo terá que justificar escalonamento para Justiça
19:43 Iniciadas obras da UPA do Cristo Rei, em Várzea Grande
19:42 Irmãos Campos defendem nome de Botelho
19:38 Após a emenda, Banco Mundial interessado na dívida de MT


19:38 Equipe do Tesouro Nacional chega dia 5
19:38 Emendas só depois de entrar o dinheiro do FEX
19:38 Emenda do teto dos gastos é promulgada
19:37 74% não acreditam nos descontos anunciados
19:37 Acumulado é o menor desde 1998
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015