Quarta feira, 20 de março de 2019










15/07/2010 15:50Anterior | Índice | Próxima

Alunos da Unemat capturam no Cerrado maior morcego das américas

Da Reportagem

Um exemplar do Morcego-fantasma-grande, considerado o maior das Américas, foi capturado em Nova Xavantina (645km a Leste de Cuiabá) por alunos do mestrado de Ecologia e Conservação desenvolvido pela Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). Este foi o primeiro registro de um morcego dessa espécie no bioma Cerrado. Em Mato Grosso, a última vez que foi registrada a captura de um morcego-fantasma-grande foi há mais de 50 anos na região do Pantanal - Norte do Estado.

O Vampyrum spectrum, seu nome científico, foi capturado, no dia 11 de julho, pelos mestrandos Ricardo Firmino de Sousa e Carlos Kreutz, próximo ao Córrego Estilac. O local da captura fica a 6 km do centro da cidade, já sendo considerado zona rural do município de Nova Xavantina. O ambiente, caracterizado pela fitofisionomia de Cerradão, pode ser considerado com baixo nível de degradação ambiental. O exemplar é do sexo masculino possui 80 cm de envergadura e 175g. Apesar do nome científico, essa espécie de morcego não é hematófago, ou seja, não se alimenta de sangue. Faz parte de sua dieta alimentar aves, roedores, outros morcegos e insetos, o que classifica como um carnívoro.

De acordo com Ricardo, a espécie é rara, vive em baixas densidades e sua distribuição se restringia ao Pantanal e a Amazônia. Esse novo registro para o Cerrado pode representar a necessidade de estudos com morcegos nesse bioma, bem como servir como indicador ambiental, uma vez que essa espécie não tolera a fragmentação e degradação de habitats.

Embora seja considerada rara, a espécie não está classificada pelo Ministério do Meio Ambiente como ameaçada de extinção e sim como espécie deficiente de dados. Após a extração de material do exemplar para estudos genéticos, ele ficará depositado na coleção de quirópteros do Campus Universitário de Nova Xavantina.

O trabalho de coleta é parte da dissertação de mestrado de Ricardo Firmino que está analisando a diversidade de morcegos do município de Nova Xavantina. O mestrando também é integrante do projeto de pesquisa “Estudos citogenéticos em espécies de morcegos que ocorrem no leste Mato-grossense” que é coordenado pela professora doutora Karina de Cassia Faria e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat).

Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Parabéns a Equipe. Necessitamos de pesqu  - José Renato de Oliveira Filho




19:31 Bancada federal se reúne com ministro da Infraestrutura e cobra duplicação da BR-163
19:30 Deputados aprovam RGA para os servidores da Justiça
19:30 Botelho apresenta 55 proposições e lidera número de projetos
19:29 Justiça bloqueia bens de deputado Romoldo, Riva, Savi e Fabris
19:27 Partidos de olho no Palácio Alencastro


19:27 MT troca Bank of America pelo Banco Mundial
17:21 Alerta na Lava-Jato
17:21 BOA DISSONANTE
17:20 Os negócios são digitais, e agora?
17:20 Gestão pública
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018