Quarta feira, 22 de outubro de 2014 Edição nº 12378 29/03/2009  










LITERATURAAnterior | Índice | Próxima

Novo livro de Ivens

Será lançado na próxima terça (31/03) “O menino órfão e o menino rei”, obra infanto-juvenil de um dos principais autores de MT

Claudio Oliveira
Da Reportagem

Simpático e sorridente o Dr. Ivens Scaff deu uma entrevista ao DC Ilustrado contando sobre o seu novo rebento, um livro de literatura infanto-juvenil chamado “O Menino órfão e o menino rei”. A história originalmente escrita para teatro conta a vida de um menino que foi educado para ser rei. A peça que nasceu com atores de carne e osso, migrou para atores de madeira (Fantoches) e ganhou os contornos da celulose foca na formação humana e intelectual que foi dada ao rei Arthur. Inicialmente o título da peça era: “A lenda da espada encantada – uma história dos tempos do Rei Arthur”.

A lenda, uma paixão de infância, que talvez tenha começado com os seriados, exibidos aos domingos nas matinês do Cine São Luiz, O rei Arthur e os cavaleiros da Távola Redonda, que inspirava as lutas de espadas, sob as mangueiras dos quintais do bairro do Porto, da infância de Ivens.

“O Menino órfão e o menino rei” conta a história de um menino órfão, criado num castelo obscuro nos confins do reino de Logres, visitado frequentemente por um velho que lhe conta a respeito de um menino desaparecido, filho de Uther Pendragon, o Grande Rei. E, passo a passo, vai preparando o menino órfão para ser o melhor amigo desse menino perdido. Porém, além da lenda céltica, Ivens colocou um pouco de brasilidade na história. “O livro era uma peça de teatro, por isso tem muitos diálogos. Quando inseri textos entre os diálogos, inclui algumas ‘brincadeiras’ sobre o Brasil na lenda de Arthur”, conta.

Este é o segundo livro feito com a editora Entrelinhas. Para Ivens isto significou um salto de qualidade no acabamento e na distribuição. Ele cita para comprovar números de circulação do seu título anterior: “Uma maneira simples de voar” já vendeu mais de 950 exemplares. Scaff confessou: “não achava que isso fosse importante e por muito tempo segui fazendo minhas edições de autor, hoje, vejo a diferença que faz”.

A partir da adaptação para teatro de marionetes o aparato lúdico como cenário e os próprios bonecos ganharam um reforço de peso, Carlão dos Bonecos que teve o apoio de Rogério Kinipilberg, e outros artistas como Marcelo Velasco e Juarez Compertino. Dr. Ivens que é médico e um dos grandes representantes da cultura cuiabana. Além de literatura infanto-juvenil também escreve poesia. Ele ainda fez a letra para a música do espetáculo “Green leaves on the Grass”, uma composição medieval anônima reconhecida mundialmente e que foi adaptada para contar a lenda deste grande Rei.

Ao todo Ivens publicou oito livros, seis infanto-juvenis: “Mamãe sonhei que era um menino de rua”, “Fábula do quase frito”, “Papagaio besteirento e a velha cabulosa”, “Bugrinho”, “Uma maneira simples de voar” e o lançamento “O Menino órfão e o menino rei”, além dos livros de poesia: “Nova poesia de Mato Grosso” e “Mil Mangueiras”. Ivens também participou da coletânea lançada pela Entrelinhas “Fragmentos da Alma Mato-grossense”, junto com Dicke, Lucinda Persona e outros grandes nomes regionais.

Esta é a primeira vez que o cenário não é regional e o escritor se apropria de uma lenda conhecida mundialmente para falar de educação, aprendizado e formação de personalidade.

Ivens conta que o gosto pela literatura vem de infância, quando os pais lhe ofereciam livros a todo instante. “Isso me fez tão bem que quero passar adiante através dos livros que escrevo”, explica.

O livro foi ilustrado com as marionetes (17) do Carlão dos Bonecos. Com 72 páginas e 52 ilustrações o livro tem um toque artístico impecável. As foto-ilustrações são do designer gráfico Helton Bastos com cenários do artista plástico Marcelo Velasco (que também modelou o rosto das marionetes de Ivens e Carlão). As marionetes tiveram como figurinista Juarez Compertino.



Ivens Cuiabano Scaff

Criado no bairro do Porto, entre partidas e chegadas de lanchas que iam para lugares tão longe como Corumbá e Montevidéu, e corriam o risco de se perder entre os meandros do Pantanal, boiadas que estouravam em frente à sua casa e tios que chegavam, de repente, dos céus em pequenos teco-tecos, Ivens, apesar de sua formação como médico, guarda muita história, ouvida ou inventada, para contar. Elas vão surgindo devagar, porque ele ainda continua escutando, pois como dizem os cuiabanos: “Quer ver? Escuta!”

Seus outros livros infanto-juvenis se passavam todos em Mato Grosso. A fábula do quase frito é a história de auto-conhecimento de um filhote achado numa queimada e que, de tão chamuscado, não conseguia saber que bicho era. O papagaio besteirento e a velha cabulosa enfoca a soberba e o orgulho de um papagaio pelos seus antepassados, aves-símbolo dos Bororo. Uma maneira simples de voar – sobre a lenda do minhocão do Pari – é, na realidade, a história de uma amizade, desavença e superação. Bugrinho, passada em algum lugar do Pantanal, versa sobre a crueldade infantil.

O lançamento acontece a partir das 19 horas no Sesc Arsenal com apresentação musical.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· No livro “Uma maneira simples de voar&qu  - Tadeu Silva

21:46 Agência Moody's rebaixa a nota da estatal Petrobras
21:45 Orgânicos abastecem mercado local
21:45 Teles terão de explicar as mudanças em pacote de dados
21:45 Setembro fechou com alta
21:35 Base de Taques tem 4 na disputa


21:35 Vereadores estudam abrir CPI
21:34 Mauro Zaque também é contra redução
21:34 Cuiabá tem déficit de R$ 35 mi
21:34 Receitas ficam 10% acima do previsto
21:33 Zaque diz que disputa para romper com gestão “saturada”
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2012