Segunda feira, 25 de setembro de 2017 Edição nº 12132 08/06/2008  










POESIAAnterior | Índice | Próxima

Editora publica poemas de jovem de 14 anos

Carlini & Caniato emplaca bela poesia da autora adolescente, Stela Oliveira. “Compostela: a velha cadeira” já está disponível nas livrarias

Da Redação

A poesia e a literatura em geral têm "a ufa" de gente precoce.

Aliás, muitos dos grandes escritores universais começaram lá, bem

cedo, ainda na idade tenra. O contato com a literatura já na infância

vai moldado os futuros escritores.

Stela Oliveira tem apenas 14 anos e acaba de publicar seu primeiro

livro de poemas. Se ela será uma grande mestre de nossa poesia, só o tempo dirá. O fato, no entanto, é que ela inaugura uma carreira que

promete ser promissora.

No livro "Compostela: a velha cadeira", que está sendo lançado pela Carlini & Caniato Editorial, Stela reúne poemas sobre temas do cotidiano, conflitos sentimentais e o poder de transformação das

palavras, deixando claro os momentos de transição da infância e a

adolescência.

Além dos conflitos interiores, a pequena autora também se aventura a falar sobre a memória, o passar do tempo, a correria diária, o amor. Tudo com lirismo, bom humor e maturidade.

Desde pequena, Stela Oliveira bebe de fontes fervorosas e ecléticas. Fã de Edgar Alan Poe, Álvares de Azevedo, Agatha Christie e Stephen King, além de mangás e comics. Começou a escrever aos oitos anos. Criava pequenas histórias.

Com a chegada da adolescência e suas características, a Literatura se mostrou uma companheira e tanto - "As variações de sentimentos me deixavam mais frágil ou agressiva. Então resolvi me expressar através dos poemas, que são frutos de meus sentimentos, sendo eles bons ou maus", diz ela.

O acúmulo de sentimentos e de produções levou à idéia do livro.

"Resolvi passar minhas idéias adiante para, quem sabe, alguém também usufruir delas e dizer: 'Nossa! É exatamente isso o que estou sentindo!'".

Cuiabana, Stela cursa a 8ª série do Ensino Fundamental. Além de

escrever, toca piano, violoncelo, violão e viola-de-cocho, além de

conhecer a teoria musical. Também desenvolve trabalhos paralelos com atividades de teatro.

O contato com a música veio pelo professor Abel Santos Anjos Filho, de quem foi aluna. Com ele aprendeu a tocar instrumentos e ritmos da cultura regional.



Em "Compostela: a velha cadeira", a autora revela delicadeza e uma percepção aguda da realidade. Mas, acima de tudo, sua predileção pela alegria de viver. Atitude que deveria ser seguida por muitos adolescentes. (com assessoria)



Tampe



Tampe a panela do medo

O poço do ódio

E o caldeirão da preguiça.

Apague o que atiça

O desejo de errar.

E cozinhe as belezas

De um novo sonhar."



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




15:18 Meta é investir R$ 1,3 bi em MT até 2010
15:17 Encontro do PT marcado por animosidade
15:17 PDT mantém apoio a tucano e pode lançar 40 candidatos
15:17 Se depender da militância, PPS é a maior sigla
15:17 PMDB assegura a Mauro maior tempo à disputa


15:16 Grupo do PR pode ter 18 minutos na TV
15:16 ERRAMOS
15:16 A boa do dia
15:15 Centrão
15:14 CPMF de novo, não!
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015