Sábado, 21 de setembro de 2019 Edição nº 11978 29/11/2007  










PESCADO ILEGAL Anterior | Índice | Próxima

Mais de 3 t apreendidas e 2 são presos

KIETY ROMA
Da Reportagem

Duas pessoas foram presas e outras cinco indiciadas durante a Operação Água Viva, realizada na madrugada de ontem por órgãos ambientais do Estado para combater a pesca predatória na região do Valo Verde, localizada entre Várzea Grande e Santo Antônio do Leverger. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) considerou a ação a mais importante deste ano, que resultou na apreensão de mais de três toneladas de pescado.

A Delegacia de Meio Ambiente (Dema) investiga a possibilidade de formação de quadrilha. O financiador do esquema, conhecido apenas como “Branco”, é um dos indiciados. “Com a operação fechamos o cerco contra os principais articuladores da pesca ilegal”, disse o coordenador de fiscalização da Sema, Marcelo Cardoso.

Os dois presos, Waldinéia Pedroso da Silva e Edmilson Mendes Martins, prestaram depoimento e um deles afirmou que todo o pescado pertencia a Branco. Com o produto, o mentor receberia cerca de R$ 45 mil. Ele paga R$ 4 por quilo de peixe e revende por no mínimo R$ 15 a restaurantes e supermercados.

O acusado é reincidente e responde a outros processos por crime ambiental na Sema. Possui até mesmo uma lancha e uma empresa de pesca no nome da esposa, Antônia Catarina Brandão Ribeiro. “Ele (Branco) patrocina com infra-estrutura todo o esquema com redes, tarrafas, barcos. Tem um poder aquisitivo muito grande. Chegou a comprar dois carros, um deles zero, para transportar peixe”, disse Cardoso.

Os agentes de fiscalização encontraram na região até mesmo um cemitério de carcaças de peixes, onde eram enterradas as cabeças dos alevinos retirados ilegalmente da natureza. “Eles retiram a parte que interessa para a venda e no resto precisam dar um fim, para que ninguém descubra o crime”, pontuou o coordenador.

A Sema aplicou quatro autos de infração, um deles era de R$ 11,6 mil. Até o dia 29 de fevereiro, a pesca é permitida apenas para subsistência em comunidades ribeirinhas, devido a Piracema.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· O que dificulta o combate a qualquer nat  - JOÃO GALDINO DE MEDEIROS




15:30
15:29 Nietzsche ganha verniz pop em nova biografia, que o apresenta como misógino
15:29 Emicida retoma parceria com o duo Ibeyi na nova música Libre
15:28 Loucos de Amor volta aos palcos neste final de semana
15:28 Chico Cesar sai em busca de todas as forças


15:15 Entre vaias e aplausos a Bolsonaro, parlamentares são premiados e dançam funk
15:15 Ensino a distância triplica e presencial tem menos calouros em sete anos
15:14 Eduardo Bolsonaro destaca busto de barão do Rio Branco em comissão da Câmara
15:11 Gabinete do ódio tensiona Planalto
15:09 Marcha global pelo clima mobiliza ativistas em diversas cidades brasileiras
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018