Quinta feira, 24 de abril de 2014 Edição nº 11938 09/10/2007  










LUIZ FERNANDO CALDARTAnterior | Índice | Próxima

A importância da qualificação

Que a qualificação profissional é importante para inserir jovens e adultos no mercado de trabalho, todo mundo já sabe. Mas que ela é imprescindível no crescimento das pessoas, na formação de cidadãos e na elevação da auto-estima, pouca gente se dá conta. A qualificação profissional de fato muda as pessoas, suas famílias e a comunidade onde elas vivem.

Mas, para que essa mudança realmente ocorra, é necessário que a formação profissional seja feita corretamente, isto é de maneira consciente e de acordo com a demanda do mercado e da região onde vive o aluno. Na escolha do curso, a aptidão pessoal do candidato é muito importante, mas não pode estar desvinculada da realidade que o circunda, sob pena de não levá-lo à tão sonhada realização profissional. A qualificação profissional deve ser pensada como uma forma de melhorar a qualidade de vida de quem se forma e de sua comunidade. Só se faz uma qualificação de verdade, formando cidadãos.

Para isso, é necessário ter um cuidado muito especial com a matriz curricular dos cursos técnicos e de formação inicial. Assuntos como ética, cidadania, empreendedorismo, associativismo, cooperativismo e legislação trabalhista não podem ficar fora da sala de aula. Afinal queremos formar pessoas conscientes de verdade e não apenas “apertadores de parafusos”.

Cidadão é quem pensa em utilizar os conhecimentos adquiridos no curso profissionalizante para melhorar a sua vida e a de sua comunidade. É quem divide o que sabe com aqueles que não tiveram a mesma oportunidade de formação. É quem reconhece que não é uma ilha. É o que tem visão ampla sobre a educação que recebeu, quer multiplicá-la, seja abrindo um pequeno negócio e gerando empregos, incentivando seus funcionários a também se qualificarem, seja se inserindo no mundo da pesquisa e da geração de novas tecnologias ou tornando-se professor. Uma vida de oportunidades e opções se abre.

Para fazer a diferença no mundo, não é necessário realizar grandes atos. Apenas fazer bem feito o que se faz. Ainda que seja um pequeno furo numa peça que compõe um equipamento. Compreendendo isso, o aluno percebe a importância de seu conhecimento, o valor de sua formação profissional e, futuramente, o valor de seu trabalho para o desenvolvimento social e econômico de sua cidade, Estado e País. Isso tudo se aprende, sim, num banco de escola.

Acima de tudo, é preciso estimular o florescimento de empreendedores. Está claro, hoje, que o empreendedorismo pode ser aperfeiçoado, aprendido, se forem dadas ao cidadão as ferramentas para fazê-lo. Quem ganha com isto é toda a comunidade onde aquele cidadão vive e, conseqüentemente, todo o Estado, pois o desenvolvimento produzido ali irá repercutir amplamente, seja interferindo na cadeia produtiva em geral, seja criando exemplos e estimulando novas iniciativas empreendedoras.

São essas as preocupações que norteiam o trabalho do Centro Estadual de Educação Profissional e Tecnológica (Ceprotec). Para nós, formar o cidadão, não apenas inseri-lo no mercado de trabalho, mas contribuir para que a sua formação faça a diferença no desenvolvimento de sua comunidade, é a principal meta.

Estamos iniciando uma nova etapa na formação profissional, com novos cursos nos seis municípios onde o Ceprotec atua. Como de praxe, antes de definir os cursos, fizemos um amplo levantamento junto às comunidades das regiões para identificar as demandas. Participaram desse processo alunos, instituições de ensino e empresas.

Esta iniciativa visa atender as necessidades de cada reunião, contribuindo para corrigir os problemas da carência de mão-de-obra que afeta muitos municípios. Mas também é a forma de chamar para a própria comunidade a responsabilidade sobre suas necessidades. Queremos dizer com isto, que a formação profissional não é uma tarefa única da instituição de ensino, mas de todos, de alunos e futuros empregados, a empresários e a todos os organismos públicos, em todas as esferas. Ou seja, a formação de cidadão que estamos propondo é um desafio de todos.



* LUIZ FERNANDO CALDART é presidente do Centro Estadual de Educação Profissional e Tecnológica - Ceprotec



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

23:33 Grêmio perde para time do San Lorenzo
23:33 Jayme quer ataque com melhor aproveitamento
23:32 Ataque vira preocupação para Mano
23:32 Atlético Mineiro perde na Colômbia
23:31 Fred marca duas vezes e o Fluminense elimina 2º jogo


23:31 Agente diz que Wesley vai renovar
23:31 Oswaldo preserva Arouca e testa Jubal em treinamento
23:30 São Paulo sofre virada em Maceió
21:19 Planalto omite agenda para evitar protestos em Cuiabá
21:19 Zeca critica ‘pressa’ do governo
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2012