Quarta feira, 21 de agosto de 2019 Edição nº 11919 16/09/2007  










Anterior | Índice | Próxima

Menino pobre do bairro Baú, Boloflor morre como indigente

Da Reportagem

Registros falados sobre os primeiros anos de vida do andarilho poeta apontam para um menino pobre, que morava como agregado de uma família no bairro do Baú. Ainda jovem, era vendedor autônomo da tradicional feira de Cuiabá – segundo relatos dos entrevistados na pesquisa – vendia raízes, flores e até imagens sacras. O passar dos anos fez o vendedor se tornar uma espécie de patrimônio de Cuiabá, muito conhecido por todos pela constância em que era visto nas ruas do Centro, pedindo um “dinheirinho para o pão”, ou comandando o trânsito nas proximidades da rua Barão de Melgaço.

Sílvia destacou que em todas as entrevistas que realizou conseguiu perceber que havia pessoas que adoravam o andarilho, mas também, aquelas que o odiavam, justamente pelos mistérios que rondavam sua vida. Zé Boloflor não tinha história real conhecida, mas sim, as estórias que o povo dedicava a ele. Um exemplo seria a composição de dezenas de músicas atribuídas a ele. Somente duas ou três tem registros oficiais de terem sido escritas pelo andarilho.

Foi a idéia de que Boloflor era um poeta que gerou um dos pontos mais fortes do mito: o que existia dentro do saco que o andarilho carregava nas costas. Para quem viveu na mesma época que ele em Cuiabá sem ter muito contato, Boloflor carregava as poesias e músicas que escrevia ali dentro do saco, que desapareceu quando internado no Hospital Adauto Botelho, na década de 70. Morreu logo depois como indigente. (AC)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:18 Saúde e Segurança mostram dificuldades
18:49 Maggi critica Governo Bolsonaro
18:49 BOA DISSONANTE
18:48 O ônibus, o sequestro e a segurança
18:47 Reflexões da vida


18:47 Um espetáculo atrás do outro
18:47 A complexidade do saneamento
18:46
18:46 Ingerências preocupantes
18:45 Biógrafo de Roberto Marinho terá que devolver R$ 200 mil à Companhia das Letras
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018