Terça feira, 20 de agosto de 2019 Edição nº 11696 20/12/2006  










DIPLOMAÇÃOAnterior | Índice | Próxima

Maggi crê num 2º mandato “mais tranqüilo”

Pela experiência adquirida no primeiro mandato, governador acredita em menos dificuldade e também relembra harmonia entre poderes em solenidade


Governador Blairo Maggi foi diplomado pela Justiça Eleitoral em sessão solene na noite de ontem em Cuiabá
SONIA FIORI
Da Reportagem

Eleitos e suplentes do pleito 2006 foram diplomados ontem em sessão solene realizada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no Centro de Eventos do Pantanal. Ao ser diplomado, o governador Blairo Maggi mostrou uma perspectiva otimista para o mandato nos próximos quatro anos. Maggi aposta na retomada do crescimento da economia de Mato Grosso.

Por conta da experiência adquirida, o governador acredita ser mais fácil governar num segundo mandato. Autoridades políticas e civis compareceram ao evento. Dos 73 previstos para a solenidade de diplomação, nenhum dos eleitos faltou. Apenas poucos suplentes não compareceram à solenidade. O deputado estadual reeleito Campos Neto (PP) chegou com minutos de atraso ao evento. O deputado federal Carlos Abicalil foi o destacado para discursar em nome dos diplomados. O critério da escolha foi o fato de ser o mais votado.

Para conseguir equilibrar a máquina pública aos ajustes necessários, espera contar com a boa relação estabelecida com a Assembléia Legislativa durante o primeiro mandato. Maggi preferiu não comentar a possibilidade de deixar o PPS. O chefe do Executivo não quis citar possíveis legendas, como o PSB, que poderão receber sua filiação. “Acabei de me diplomar e ainda preciso de tempo para pensar. Ainda é cedo para falar sobre isso”, encerrou.

O governador anunciou ainda que já conversou com os novos deputados estaduais sobre a necessidade de dar continuidade ao bom desempenho da atuação entre Executivo e poder Legislativo. No entanto, reiterou que não irá interferir na autonomia do poder. “Eu acredito que a Assembléia Legislativa tem sua autonomia. Tenho procurado não interferir. A Assembléia é dona do seu nariz e tenho valorizado essa relação”, disse.

Durante a diplomação, o governador também avaliou o cenário de aumento salarial. “Um salário de R$ 18 mil para governador significa R$ 100 milhões por ano por causa do efeito cascata. Estamos conversando com líderes políticos sobre o assunto”, avaliou. Maggi disse ainda que o orçamento de 2007 está com déficit de R$ 185 milhões e fez um alerta: “ou a economia começa a crescer ou a máquina pública sofrerá mais cortes”, antecipou.

No entanto, segundo ele, o cenário está mais favorável ao retorno do desenvolvimento. Segundo o chefe do Executivo, a pior crise de Mato Grosso, iniciada em junho de 2005, já teria passado. Maggi lembrou também que é necessário ser realizada uma parceria entre poder público e setor privado. “Existem pontos importantes que cabem aos dois setores, por isso precisamos dessa parceria com o setor público e também com o privado”, disse.

De acordo com o chefe do Executivo estadual, as principais mudanças para a melhoria do desenvolvimento do Estado já estariam sendo tomadas, por meio da nova estrutura denominada verticalização das atividades.

O chefe do Executivo destacou ainda a participação da sociedade na cobrança pelas melhorias para o Estado e lembrou ainda que nem sempre é possível cumprir todas as metas planejadas. “Espero que possamos melhorar e a sociedade também espera. Nem sempre conseguimos atingir todas as metas, mas cabe a nós a tarefa de percorrer o melhor caminho e fazer uma administração cada vez mais transparente”. Maggi disse também que espera que todos os segmentos políticos sigam o mesmo caminho. O chefe do Executivo fez um discurso emocionado durante a diplomação, lembrando a ausência de seu pai. A partir da diplomação, são três dias para o pedido de impugnação do ato e mais de 15 para pedir impugnação do mandato. A solenidade foi dirigida pelo presidente do TRE, Antonio Bittar.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




22:45 Faustino critica o PFL e elogia Lula
22:44 Contas de Wilson aprovadas por unanimidade
22:44 TCE aprova pedidos de intervenção
22:44 Denúncia do MPE contra Lueci não inclui ação na penal
22:44 Silval renuncia hoje ao mandato parlamentar


22:43 Maggi crê num 2º mandato “mais tranqüilo”
21:27 CNBB no Estado orienta religiosos
21:27 Petistas querem debater aumento
21:26 Câmara aprova orçamento de Cuiabá
21:26 Duas matérias impedem recesso
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018