Sexta feira, 25 de julho de 2014 Edição nº 11694 17/12/2006  










VIVALDO LOPESAnterior | Índice | Próxima

O crescimento econômico de Cuiabá

Da Reportagem

A cidade de Cuiabá atingiu nível de excelência entre as capitais brasileiras no quesito renda per capita. Segundo estudo divulgado esta semana pelo IBGE, com base em dados dos anos de 1999 a 2004, a capital mato-grossense apresentou excepcional crescimento no seu Produto Interno Bruto – PIB, ficando com a 10ª posição entre as capitais no item PIB per capita, que é o resultado da divisão do valor monetário do PIB pela população. Fica à frente de capitais vizinhas como Campo Grande e Goiânia e até mesmo de capitais de estados expressivos como Salvador e Recife. O PIB per capita de Cuiabá, nesse período, é 39% maior que o de Campo Grande (MS) e 37% superior ao de Goiânia (GO). O valor do PIB per capita de Cuiabá, de R$ 10.025,00 é superior à média do país, que é de R$ 9.729,00.

Vários fatores sociais e econômicos contribuíram, ao longos desses anos, para conduzir Cuiabá à posição de destaque entre as capitais. O último levantamento do IPEA/PNUD sobre o Índice de Desenvolvimento Econômico – IDH dos municípios brasileiros já indicava que o IDH de Cuiabá também é superior à média nacional. O IDH é o indicador universalmente utilizado para medir a qualidade de vida da população de determinada região.

No período do levantamento do IBGE, 1999 a 2004, foi montado em Cuiabá um dos melhores sistemas de proteção social das capitais. Esse sistema contempla desde o atendimento gratuito de crianças em creches municipais e filantrópicas, ampliação do programa de saúde da família, programas de aceleração do aprendizado no ensino fundamental e de alimentação escolar, até unidades de apoio à juventude, à mulher violentada e centros de convivência para a população da terceira idade. Além desses programas públicos, muitas empresas implantam seus próprios projetos de responsabilidade social, contribuindo para melhorar a qualidade de vida na cidade. Volume expressivo de recursos investidos em asfaltamento, na infra-estrutura urbana, em saneamento básico contribuíram para melhorar as condições habitacionais, reduzindo a mortalidade infantil e a incidência de algumas doenças derivadas das más condições básicas de saneamento e moradia, diminuindo, por conseguinte, os gastos de atendimento na rede pública de saúde. No campo econômico, o Programa de Desenvolvimento Econômico de Cuiabá – Prodec, que prevê a isenção temporária de tributos municipais (ITBI, IPTU, ISSQN) para empresas que se instalem na cidade, atraiu mais de cinqüenta novas empresas, gerando mais empregos, renda e consumo, aquecendo, consequentemente, o comércio e a indústria locais.

Contribuiu também para esse salto de qualidade de Cuiabá o fato dela ser uma privilegiada beneficiária do crescimento da economia de Mato Grosso no período de 1999 a 2004. Propulsionado pelos bons ventos que sopraram as velas do agronegócio nesse período, a economia de Mato Grosso teve crescimento expressivo. O PIB de Mato Grosso cresceu a uma média anual três superior à média do crescimento do país. Na posição de capital e cidade que tem a maior base industrial do estado, melhor infra-estrutura urbana, a maior rede de serviços estruturantes (hotéis, universidades, centros de convenções, consultorias, aeroporto, sede administrativa do governo estadual, do legislativo e do judiciário, etc), Cuiabá, naturalmente capitaliza boa parte dos recursos privados direcionados para investimentos em Mato Grosso. Indústrias fornecedoras de insumos ou processadoras da produção agropecuária encontram boas condições de infra-estrutura logística, econômica e social para se instalar em Cuiabá. Parte expressiva do capital acumulado pela agropecuária e pelos “players” do agronegócio é reinvestida em novos negócios em Cuiabá, quer seja no comércio, instalação de novas indústrias ou na aquisição de imóveis residenciais e comerciais. Os filhos do agronegócio vêem para Cuiabá à procura de ensino superior de boa qualidade, além da excelente rede cultural e de entretenimentos que a cidade oferece.

Para orgulho de mato-grossenses e cuiabanos, a progressiva melhora de Cuiabá no ranking econômico e social das capitais brasileiras não foi fruto do acaso mas sim resultado de boas políticas públicas dos governos municipal e estadual e do espírito empreendedor dos empresários cuiabanos e mato-grossenses que aqui vislumbram bom ambiente de negócios e boas condições para se viver bem.



* VIVALDO LOPES é economista, especializado em Gestão Financeira pela FIA/USP, consultor da Fundação Getúlio Vargas

[email protected]



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Vivaldo, Quero destacar também um núm  - Antonio Carlos
· Pois é, e dizem por aí que Cuiabá não cr  - José Leopoldo Vieira da Silva

22:48 Demora em informar TRE pode prejudicar bloco
22:48 DEM participará da escolha do substituto
22:48 Leitão admite racha interno
22:48 Para Aray, Jayme era imbatível
22:47 Silval se prepara para rebater


22:47 Aécio e Campos confirmam visita
22:47 Muvuca propõe parceria a Prado
22:46 Defesa vai pedir que Eder fique
22:46 Força-tarefa chega à fase de conclusão
21:45 Juíza ordena que vereadores cumpram decisão
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2012