Quinta feira, 21 de março de 2019 Edição nº 11641 12/10/2006  










Anterior | Índice | Próxima

Coligação minimiza resultado de pesquisa

Da Folhapress

Lideranças do PSDB e PFL minimizaram ontem o resultado da pesquisa Datafolha, que aponta vantagem de 11 pontos percentuais do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que tenta a reeleição, sobre o candidato Geraldo Alckmin (PSDB). O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse que a campanha no segundo turno terá início com o horário eleitoral gratuito no rádio e na TV, que começa hoje.

Virgílio disse que as pesquisas internas encomendadas pelo PSDB apontam Lula e Alckmin empatados tecnicamente no segundo turno. Ele defendeu que o candidato tucano mantenha o tom mais agressivo na campanha, a exemplo do que fez no debate realizado no último domingo na Band. "O Alckmin não deve ser linear. Para falar de corrupção, vai falar rindo? Tem que falar duro", defendeu.

O senador José Jorge (PFL-PE), vice na chapa de Alckmin, disse que a pesquisa não reflete a realidade. "A gente está acostumado com isso desde o primeiro turno. E as pesquisas do primeiro turno interferiram mais na tropa que as do segundo", disse.

A reportagem apurou, no entanto, que o resultado da primeira pesquisa realizada após o debate entre Lula e Alckmin desanimou a coordenação da campanha do tucano, que esperava um impacto positivo das críticas que o ex-governador de São Paulo fez ao petista.

O senador Peráclito Forte (PFL-PI), um dos coordenadores da campanha de Alckmin, disse que os tucanos vão continuar o trabalho sem dar tanta importância às pesquisas. Na opinião do senador, os próprios petistas reconhecem que a diferença entre Lula e Alckmin é muito pequena no segundo turno. "Você não vê tranqüilidade por parte do PT. Você acha que eles iriam estar acusando o Alckmin de privatização? Isso é desespero", disse o senador.

A avaliação entre os principais coordenadores da campanha do ex-governador de São Paulo é que o tucano deve insistir em melhorar o seu desempenho em Minas Gerais e no Nordeste, localidades onde Lula obteve mais votos. Um dos membros da campanha de Alckmin disse que o vencedor em Minas Gerais tem grandes chances de ganhar também as eleições. A intenção dos tucanos é tentar reduzir para até sete pontos percentuais a diferença entre Lula e Alckmin no Nordeste.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:31 Bancada federal se reúne com ministro da Infraestrutura e cobra duplicação da BR-163
19:30 Deputados aprovam RGA para os servidores da Justiça
19:30 Botelho apresenta 55 proposições e lidera número de projetos
19:29 Justiça bloqueia bens de deputado Romoldo, Riva, Savi e Fabris
19:27 Partidos de olho no Palácio Alencastro


19:27 MT troca Bank of America pelo Banco Mundial
17:21 Alerta na Lava-Jato
17:21 BOA DISSONANTE
17:20 Os negócios são digitais, e agora?
17:20 Gestão pública
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018