Quarta feira, 22 de maio de 2019 Edição nº 11606 01/09/2006  










DEUSDÉDIT MONGE DE ALMEIDA Anterior | Índice | Próxima

D. Orlando chaves, apóstolos das vocações!

No dia 15 de agosto, dia da Assunção de N. Senhora ao céu, a Arquidiocese de Cuiabá, celebrou os 25 anos da morte do saudoso e benemérito arcebispo D. Orlando Chaves. Assim expressou o arcebispo emérito D. Bonifácio Piccinini, SDB, na carta mortuária do venerando D. Orlando Chaves: “no silêncio de um quarto da Santa Casa de Misericórdia, terminada apenas a recitação do terço e dada a última absolvição pelo Padre Cometti, que fora o seu dedicado vigário geral, finou-se uma vida das mais ricas em ideais alentados e das mais fecundas em obras apostólicas, quer na Congregação Salesiana, quer na Igreja do Brasil”.

D. Orlando Chaves nasceu em Campinas Verde-MG, no dia 17 de fevereiro de 1900. Foi ordenado Presbítero em 10/07/1927 e Sagrado Bispo de Corumbá em 25/07/1948. Em 1957 foi nomeado Arcebispo de Cuiabá, substituindo D. Francisco de Aquino Corrêa, conhecido como o príncipe das letras mato-grossense.

D. Orlando Chaves morreu com 81 anos de idade e 54 de vida religiosa. Foi inspetor de S. Paulo durante 9 anos, 8 anos Bispo de Corumbá e 25 anos Arcebispo de Cuiabá.

D. Orlando Chaves é conhecido nacionalmente como o apóstolo das vocações. Pois, empreendeu com coragem, tenacidade e zelo apostólico, uma grande campanha no Brasil em favor das vocações sacerdotais e religiosas. Esta foi a marca indelével do seu ministério apostólico. Eu, por exemplo, sou fruto do incansável e abnegado trabalho vocacional de D. Orlando Chaves. Foi ele que encaminhou-me para o Seminário C. Rei.

Em 26/11/1956, foi nomeado arcebispo de Cuiabá. Chegando em Cuiabá, iniciou, em 1958, a construção do Seminário Cristo Rei, em Várzea Grande. Uma obra imponente e bela em sua arquitetura.

Certa vez, perguntaram a D. Orlando chaves, porque uma obra dessa magnitude em V. Grande? Ele respondeu: “Se não for possível formar os sacerdotes que esta Igreja precisa, estarei formando os pais dos futuros sacerdotes”. Realmente, o seminário Cristo Rei formou uma geração de pais cristãos, professores, profissionais liberais que estão contribuindo, positivamente, com nosso belo quadro social. Porém, ele não preocupou só com as vocações! A exemplo do bom pastor, dedicou com admirável solicitude ao pastoreio do povo de Deus desta arquidiocese. Procurou conhecer, através das visitas pastorais, toda a arquidiocese, mesmo os lugares e rincões mais distantes e pobres.

Preocupou, também, com a organização pastoral da arquidiocese trazendo para Cuiabá vários movimentos de apostolado leigo, como por exemplo o Cursilho de Cristandade, o Ovisa (Orientação para Vivência Sacramental), Legião de Maria e Vicentinos. Fundou, também, a Liga dos Apóstolos da Caridade para assistir e evangelizar os pobres da nossa periferia.

Entre as principais realizações pastorais de D. Orlando Chaves, além da construção do Seminário Cristo Rei, estão: A Fundação da Congregação da Missionárias do Bom Jesus, em 1966, a Rádio Difusora Bom Jesus de Cuiabá, que está no ar até hoje, o Asilo Santa Rita, dirigida pelas Irmãs Missionárias e a imponente magnífica Catedral Basílica do Senhor Bom Jesus de Cuiabá.

Ao celebrar os 25 da morte de D. Orlando, queremos relembrá-lo com carinho e sentida gratidão pelo testemunho de generosidade apostólica, simplicidade de vida, pobreza e desprendimento das coisas materiais.

Evocamos aqui, as palavras do grande apóstolo: “Lembrai-vos de vossos guias que vos pregaram a palavra de Deus. Considerai atentamente sua vida e imitai-lhes a fé” (Hb 13,7).

Aproprio-me das palavras do arcebispo emérito D. Bonifácio, o qual, finalizando a carta mortuária, disse: “Que do céu, D. orlando chaves, alcance para o seus padres, religiosos e seminaristas, para seus irmãos Salesianos, para suas filhas missionária do Bom Jesus, e para todo o povo de Deus da querida arquidiocese de Cuiabá, o ardor que o consumiu na procura da glória de Deus e salvação das almas”

“Dai-lhe, Senhor, o descanso eterno e a luz perpétua o ilumine”.



* DEUSDÉDIT MONGE DE ALMEIDA, padre é Sacerdote Salesiano, Pároco e Vigário Geral



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:44 Taques diz que deseja depor no caso dos grampos
19:44 BOA DISSONANTE
19:43 Populismo não é ameaça
19:43 Um novo dia, de um novo tempo!
19:43 Proporcionar crescimento ao país


19:42 O preço da incerteza
19:42 Reflexões da vida
19:41 Filme francês com romance lésbico volta a chamar a atenção na disputa
19:41
19:40 Filme do brasileiro Karim Aïnouz martela as várias facetas do machismo em Cannes
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018