Segunda feira, 20 de maio de 2019 Edição nº 11437 05/02/2006  










MERCADO Anterior | Índice | Próxima

MT ainda é promissor para advogados

541 bacharéis fazem provas da OAB hoje para entrar num mercado que já tem 6.200 advogados, mas OAB diz que MT ainda comporta novos profissionais


Presidente da OAB, Francisco Faiad, diz que embora haja nichos de mercado em MT, mercado está próximo da saturação
NATACHA WOGEL
Da Reportagem

A expectativa de 541 bacharéis em Direito de Mato Grosso, de entrarem para o mercado de trabalho da advocacia, aumentará a partir de hoje, com a realização da segunda fase do exame da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso (OAB/MT). Na primeira fase já ficaram para trás 998 candidatos, do total de 1.529 inscritos. No Estado, pelo menos 11.686 inscrições para o exame já foram feitas desde que passou a ser aplicado aqui, em 1988, praticamente o dobro de advogados em atuação no mercado mato-grossense, que hoje é de 6.200 profissionais.

Desde o início da década, o número de bacharéis de Direito que desejam tirar a carteira de advogado vem crescendo sistematicamente. Em 2000, foram 1.390 inscritos no exame da Ordem, passando para 1.668 no ano seguinte. Em 2002, o número aumentou para 1.797, seguindo para 2.733 em 2003. Em 2004 foi batido o recorde de inscrições, com 3.255 candidatos. Já em 2005, o número caiu um pouco, para 2.333, mas manteve a média anterior.

Já a quantidade de aprovados não segue a mesma tendência. Diferentemente ao crescente número de candidatos a cada ano, o índice de aprovação não passa dos 25% (veja quadro nesta página). Passar no exame varia conforme a dificuldade da prova e a preparação dos candidatos, segundo o presidente da Comissão de Estágio e Exame da OAB/MT, João Norberto de Almeida Brito. “O índice de reprovação é variável. Já tivemos aprovação na primeira fase de 55% e já tivemos também de 20%. Nesta prova que está transcorrendo, o índice de aprovação na primeira fase foi de 35%, a média nacional. Essa variável não é de acordo com a matéria, mas talvez de acordo com o grau de dificuldade da prova, de acordo com a preparação do candidato”.

Estima-se que aproximadamente 1.000 bacharéis em Direito saem das 18 faculdades existentes em Mato Grosso todos os anos. Muitos optam por estudar para concursos públicos, mas a maioria tenta a aprovação no Exame da Ordem para atuar como advogados ou, até mesmo, tentar carreiras públicas que exigem a experiência na advocacia. De acordo com os representantes da categoria, Mato Grosso ainda é um estado promissor para quem quer advogar.

“Ainda existe mercado no Estado. Temos o menor número de profissionais dos estados do Centro Oeste, sem contar que há muitos municípios novos, novas comarcas crescendo. Mas, se continuar crescendo da forma que está, em breve será um mercado estrangulado. No Brasil já é, somos 550 mil advogados no país”, argumenta o presidente da OAB/MT, Francisco Faiad.

Para o presidente da Comissão de Exame, as fronteiras agrícolas do Estado são a base para o novo nicho de mercado da advocacia. “Mato Grosso é um estado em expansão, existem portas se abrindo para advocacia, inclusive em ramos novos, o mercado internacional, por exemplo. O Estado tem economia de exportação, estamos próximos do Mercosul, fazemos divisa com a Bolívia. O Direito Internacional está em expansão, inclusive é uma tendência em colocar isso na prova, no próximo exame. Economia rural, agricultura, é o mercado de contratos, de arrendamento de terra, isso ainda abre as portas para advogados. Então se por um lado temos a saturação de mercado por profissionais que estão ingressando, temos portas abrindo também para a profissão”, avalia.

“Mas em pouco tempo, a situação do advogado vai estar igual a de professor. Também vamos ter advogado garçon, taxista. Essa é a tendência do mercado, inclusive nacional, o mercado não comporta a quantidade de profissionais”, completa João Norberto.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Creio há trecho da matéria que deve uma   - thenquini




16:33 Navio da Marinha retorna a MS
15:59 Deputados aguardam a contra-proposta
15:58 Bancos não cumprem a Lei em Barra
15:58 Advogada pediu indenização de R$ 10 mil em Tangará
15:58 Moradores bloqueiam BR-174 por 3 horas


15:58 Só um banco se adequou em Cáceres
15:57 Governo não vai regulamentar Lei
15:57 Faculdades não prepararam alunos
15:57 UFMT deveria aprovar mais, diz OAB
15:56 MT ainda é promissor para advogados
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018