Quarta feira, 18 de outubro de 2017 Edição nº 11210 08/05/2005  










TRAGÉDIAAnterior | Índice | Próxima

Prefeito de Marcelândia perde família em acidente de carro

Do Só Notícias

O município de Marcelândia, 712 quilômetros ao norte de Cuiabá, amanheceu de luto ontem, com a morte da mulher e dos três filhos do prefeito da cidade Adalberto Diamante, além de uma secretária do gabinete.

O acidente aconteceu a aproximadamente 40 quilômetros de Marcelândia, na estrada que liga a cidade ao município de Cláudia. Segundo informações repassadas pela Polícia Militar, a primeira dama Etelvina Diamante teria perdido o controle de seu veículo em cima da ponte e caído no rio 1001.

Além de Etelvina, conhecida como Téo, morreram ainda os filhos Aline Filomena, de 13 anos, Adalberto Felipe, de 12, e Gustavo, de 10. A secretária de Gabinete do prefeito Aparecida Cavalcanti dos Santos, conhecida como “Cidinha”, também estava no veículo e morreu. O acidente causou comoção na cidade, cujo comércio não funcionou ontem pela manhã em homenagem às vítimas.

Os cinco haviam saído por volta das 4h30 da manhã na S-10 cabine dupla da primeira dama, com destino a Cláudia, de onde seguiriam para Sinop, possivelmente para fazer compras. Na ponte sobre o rio 1001, Etelvina Diamante teria perdido o controle. Acredita-se que os vidros do carro estivessem fechados, o que teria impedido que seus ocupantes conseguissem escapar.

A S-10 só teria sido vista dentro d’água ao menos uma hora depois do acidente, quando uma van que liga Marcelândia a Sinop passou sobre a ponte. Ao avistarem o veículo, os ocupantes da van acionaram a Polícia Militar, que enviou uma equipe ao local.

Segundo informações do soldado da Polícia Militar de Marcelândia, Edson Júnior Ferreira, as cinco vítimas fatais podem ter ficado submersas por aproximadamente 40 minutos.

O soldado contou que os ocupantes do veículo estavam sem o cinto de segurança, o que pode significar que permaneceram conscientes dentro do rio, tentando sair do veículo. A pressão da água impediu que a porta fosse aberta.

“Acredito que tenham morrido por afogamento e não conseguiram sair do carro por causa da pressão. Tivemos que quebrar os vidros para retirar os corpos”, disse o policial Edson Ferreira. Os corpos seriam velados no plenário da Câmara Municipal de Marcelândia.

No local onde o acidente aconteceu, a estrada é de cascalho, o que pode ter sido determinante para que a motorista perdesse o controle. A ponte tem cerca de 1,5 metro de altura e o rio 3 de profundidade. Adalberto Diamante mora há cerca de 20 anos em Marcelândia e é filiado ao PPS do governador Blairo Maggi. Ele já havia sido prefeito entre 1993 e 97, sendo eleito mais uma vez em 2002.

Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Adalberto, quanta triteza, a família tod  - Leonilda T.R.B.
· nessa epoca nos moravamos em analandia p  - ROSANE
· Não conhecia as crianças que morreram no  - veronica de cassia
· Deus que ilumine o Prefeito e que permit  - João Ricardo Amadeu
· Correção: Adalberto está em seu primeiro  - Emerson G. S. Lopes
· Lamentável, muito triste...  - Vilmar Adorno




19:52 Cidinho e Wellington votam a favor
19:52 Bosaipo pede suspeição de juíza
19:51 Juíza diz que acusação é um absurdo
19:51 Em nota, Gaeco repudia as declarações do cabo
19:51 Cabo Gerson acusa juíza e promotor


19:50 Bancada se une para buscar mais recursos para saúde
19:50 Oposição consegue na Justiça atrasar projeto
19:48 Oposicionista é escolhido novo líder
19:48 Gilmar quer que Supremo decida ação
19:47 Uma 'tempestade em copo d'água'
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015