Sexta feira, 01 de julho de 2016 Edição nº 11091 11/12/2004  










JULGAMENTOAnterior | Índice | Próxima

Acusado de matar policial militar pega dezoito anos

Da Reportagem

Após 18 horas de julgamento, o motociclista Jamil Dias Xavier, de 27 anos, foi condenado a 18 anos e seis meses pelo assassinato do policial militar Edno Ramos Leite e pela tentativa contra Eliton Faustino Lima, baleado de raspão. O crime ocorreu em janeiro deste ano no bairro Lixeira. Outro participante, Valdiney dos Santos Silva Júnior, 19 anos, também julgado no mesmo dia, recebeu uma sentença de seis anos pelos dois crimes. O julgamento ocorreu pela 1a Vara Criminal de Cuiabá.

Segundo o promotor criminal João Augusto Gadelha, o Ministério Público defendeu a tese do homicídio duplamente qualificado: motivo torpe (vingança) e recurso que dificultou a defesa por parte das vítimas. Conforme a sentença, Jamil foi condenado a 12 anos e seis meses pelo assassinato, quatro anos pela tentativa e dois pelo porte ilegal de arma. A pena deverá ser cumprida em regime integralmente fechado.

Jamil acumula uma pena de 23 anos. No mês passado, foi condenado a quatro anos e seis meses por uma tentativa de homicídio ocorrida um anos antes, também na Lixeira.

Conforme da denúncia do MP, soldado Edno Ramos foi assassinado por engano – o alvo era Eliton, que saiu ferido. O militar foi atingido por dois tiros - um no pescoço e outro no tórax. A confusão ocorreu porque os dois estavam no mesmo bar e coincidentemente vestidos com uma camisa amarela.

As vítimas estavam no bar Bi Lanches, quando Jamil Dias em uma moto CG Titan prata, pilotada por Valdiney dos Santos, se aproximou e atirou. Um dos tiros atingiu de raspão o técnico, que conseguiu correr. O policial militar acabou sendo confundido e executado por engano.

Eliton Lima disse à polícia que Valdiney lhe entregou um telefone celular para que consertasse e que levaria alguns dias para ficar pronto. Uma hora antes do crime, Eliton já estava no bar quando Valdiney se aproximou e tomou-lhe o aparelho iniciando um atrito entre os dois.

Então, Valdeney chamou Jamil para assassinar Eliton, informando que o alvo estava usando uma camisa amarela e não teria erro. Ao chegar ao bar, foi logo atirando atingindo o PM, que fora até o local para tomar uma cerveja.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




21:13 Apresentadores pré-candidatos deixam programas de rádio e TV
21:11 STJ nega liberdade para empresário
21:09 Vice de Lucimar prestigia Taborelli
20:58 PSC lança Peri Taborelli pré-candidato
20:56 Sindicatos recorrem à Justiça por reajuste


20:56 Ex-deputada Thelma de Oliveira volta a ser ficha limpa
20:55 TJ proíbe corte de ponto no Detran e na Segurança
20:54 Com um mês, greve começa a perder força
20:52 Marcus Fabrício assume vaga de Pinheiro
20:52 Haroldo Kuzai é aclamado presidente
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015