Quinta feira, 02 de outubro de 2014










13/08/2004 22:10Anterior | Índice | Próxima

Bairro Porto é tema de proposta Turística de acadêmicos do Univag

Da Reportagem

O patrimônio sócio-cultural e histórico do bairro do Porto é tema do projeto “Vozes que ecoam pelas ruas, becos e casarios: Uma proposta turística para o Bairro do Porto. Cuiabá - Mato Grosso”, do curso de Turismo do Univag.

A intenção é formatar um produto turístico no bairro, através de uma gestão compartilhada com os moradores, contribuindo para a sensibilização e preservação da memória cultural e histórica de Cuiabá.

Segundo a professora idealizadora e coordenadora do projeto, Mestre em História, Sibele de Moraes, o Porto é o bairro mais importante de Cuiabá, considerando a sua historicidade, datada no início do século XVIII.

“O bairro do Porto tem sua história interligada com a fundação das Minas do Cuiabá e sua elevação ao Arraial de Bom Jesus de Cuiabá no ano de 1827. Após a constituição do Arraial, o Porto tornou-se centro de descarga e carga dos produtos que abasteciam a região. Além de ter sido o local onde foi estabelecida a maioria das lojas comerciais, tornando-se um local de extrema importância para o comércio do Arraial de Bom Jesus de Cuiabá, também foi um dos bairros onde se encontravam as moradias das famílias da elite cuiabana. Entre os que viveram no bairro estão os proprietários das usinas de açúcar, das companhias de navegação e os comerciantes de maior porte da cidade,” afirma Sibele.

Nos quase 300 anos de história, a cidade foi crescendo para além das fronteiras do Porto, renegando esta espacialidade nos dias atuais a becos, ruas e casarios que estão se deteriorando e construindo uma imagem negativa de que este local, próximo ao rio Cuiabá seja, atualmente de concentração de “marginais”, de prostituição e de violência.

Essa representação, de acordo com os moradores que participaram da primeira reunião juntamente com a comissão organizadora do projeto, na última quinta-feira, dia 05 de agosto, não condiz com a realidade.

“Não somos nós que acabamos com a imagem do nosso bairro. As famílias e o comércio desta região são constituídos de pessoas de bem, trabalhadoras. A miserabilidade e violência do local são questões sociais que afetam grande parte dos bairros periféricos da cidade”, argumentam as lideranças do bairro.

Segundo os moradores, a concentração de pessoas que estão às margens da sociedade, no bairro, talvez se dá pelo fato do rio ainda ser considerado uma fonte de alimentação (peixes) e do próprio mercado de abastecimento, a feira do porto, local onde essas pessoas vão buscar possibilidades de sobrevivência.

A coordenação do projeto vai se reunir novamente com as lideranças do bairro, neste dia 13 de agosto, às 19h, no Museu do Rio. “Precisamos dos moradores e comerciantes do bairro participando junto com a gente para formatar o projeto de acordo com os anseios da comunidade. São eles, os agentes sociais que vão sensibilizar e ajudar preservar a memória cultural do bairro do Porto”, conclama a coordenadora do projeto.

O projeto conta com várias parcerias, entre elas: as Instituições de Ensino Superior (Unirondon, ICEC, FAUC, Cefet e Afirmativo), a Secretaria Estadual de Desenvolvimento do Turismo (Sedtur) e a Secretaria Especial de Indústria, Comércio e Turismo Secretaria do Bem Estar Social. “Para viabiliza-lo precisaremos de um trabalho em conjunto, inclusive com a parceria das empresas privadas, entre elas, as que atuam no próprio bairro do Porto”, diz.

Segundo a professora e turismóloga Thaís Quintão, os aspectos históricos e culturais da região proporcionam ao local característica única e especiais as quais contribuem para o aumento da atratividade da região. Outro fator relevante para a viabilização da proposta é a sua localização estratégica – próxima à atual região central da capital – e a facilidade de acesso.

O bairro do Porto localiza-se na região Oeste de Cuiabá, sua configuração espacial inicia-se na rua Tenente Coronel Duarte até a avenida Senador Metelo seguindo pela avenida São Sebastião, retornando-se à avenida Miguel Sutil até as margens do rio Cuiabá.

Encontra-se nesta região alguns dos principais patrimônios históricos de Cuiabá, além dos casarões coloniais podemos citar: o Espaço Liu Arruda, o Museu do Rio “Hid Alfred Scaff”, o Aquário municipal, o Mercado do Porto, a Casa do Artesão / Restaurante Regionalíssimo, a Igreja São Gonçalo, Igreja Nossa Senhora Auxiliadora, o antigo cais do porto, entre outros localizados nos limites do bairro.

Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· cuiaba não tem passado. cade as pessoas   - Euripedes Rodrigues de Souza Junior
· Isto é muito importante, a história faz   - Euripedes R. de Souza Junior
· Excelente,poderíamos acoplar aspectos li  - edson
· Aproveito esta opoturnidade para colocar  - Lucelio Costa

23:10 Santos derrota o Botafogo no Rio
23:10 Corinthians passa pelo Atlético-MG
23:09 Flamengo terá vantagem no segundo jogo
22:32 Palmeiras joga para sair da degola
22:32 Com semana livre, Cristovão comanda treinamento pesado


22:32 Auxiliar comanda treino com bola
22:32 Diretoria multa Luis Fabiano
22:31 Cruzeiro vence ABC-RN e abre vantagem
21:32 Riva acusa Eraí Maggi de sonegação
21:31 PF identificou autores de vídeo contra juíza
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2012