Domingo, 20 de outubro de 2019 Edição nº 10731 28/09/2003  










TELEVISÃOAnterior | Índice | Próxima

“Pânico" leva brincadeira dos rádios para a telinha

Sucesso no rádio, o programa faz sua estréia hoje na telinha, e assim como no dial, a participação do público será essencial. A ex-‘BBB 3’ Sabrina Sato será uma espécie de fada madrinha dos telespectadores

FABIANA REWALD
Da AF - São Paulo

Sete marmanjos, uma musa e muito humor. Esses são os ingredientes básicos do “Pânico na TV", que estréia hoje, às 18h30, na RedeTV!. Com uma carreira de sucesso no rádio, o programa chega à televisão apostando no improviso e com 1h30 de duração.

Assim como no dial, a participação do público será essencial. Além de uma platéia de 150 pessoas, os humoristas, comandados por Emílio Surita, receberão e-mails e telefonemas. A equipe continua a mesma: Bola (Marcos Chiesa), Carioca (Márvio Lúcio), Mendigo (Carlos Alberto da Silva), Zé Fofinho (Vinícius Vieira), Ceará (Wellington Muniz), Japa (Marcos Aguena) e a mais recente aquisição, a ex- “BBB 3" Sabrina Sato, que já sofre há um mês com as brincadeiras dos marmanjos no dial.

A mestiça será uma espécie de “fada madrinha" dos telespectadores e ficará encarregada de realizar os seus desejos. Novos personagens foram criados especialmente para o “Pânico na TV", como o Fioda, um mestre espiritual. Outra novidade é o Élvis, um sheepdog que vai levar os convidados ao centro do palco.

Figuras que já existiam no rádio também darão o ar da graça. Seu Brito (Eronildo João de Brito), motorista da Jovem Pan, ficará responsável pelo chamado “departamento de jornalismo" do programa. Ele fará links com notícias reais, que ganham um toque divertido com seu jeito simples de falar. A copeira da rádio, dona Inês (Inês Lopes Vieira), também servirá o grupo na TV e participará de alguns quadros. A Morte (Jorge César Barbosa) será assistente de palco e visitará famosos.

Além de esquetes, imitações de artistas e sátiras a programas de TV, um monitor, que ficará atrás dos humoristas, mostrará quadros e partes da atração da rádio gravados durante a semana.

“O ‘Pânico na TV’ é o primeiro passo no processo de mudança da programação dos domingos", diz Mônica Pimentel, diretora de entretenimento da emissora. Segundo ela, o objetivo é conquistar novos telespectadores. Para isso, a atração deve trazer “caras novas", como diz Surita. “Nosso público não é o mesmo do Gugu (SBT) e do Faustão (Globo)."

O “Pânico" surgiu na Jovem Pan FM em fevereiro de 1993, com Emílio Surita e o estagiário Bola. Eles debatiam assuntos polêmicos e atendiam às ligações dos ouvintes.

Alguns meses depois, a veia humorística da dupla falou mais alto e o programa ganhou o tom irreverente. Logo foi criado o bordão “vai te catar", o primeiro de uma série. Em seguida, chegaram os outros integrantes e as musas. Joana Prado, a Feiticeira, foi atração do programa em 1999. Mariana Kupfer ficou de 2001 a maio deste ano. Hoje, Sabrina Sato diverte com o seu jeito caipira os 20 milhões de ouvintes, de segunda a sexta, das 12h às 14h.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




09:32 Semáforo do Círculo Militar
09:32 Tributação para área da saúde
09:31 Mistérios da República
09:31 Carne Carbono Neutro
09:31 Carne Carbono Neutro


09:30
09:30 O risco dos casuísmos
09:29 Gigante sueca aquece setor de audiolivros do Brasil
09:29 Renée Zellweger já desponta como favorita ao Oscar
09:29 Renée Zellweger já desponta como favorita ao Oscar
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018