NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
CUIABÁ URGENTE
Quinta-feira, 30 de Julho de 2020, 09h:29

FUNERAL DE PASTOR

Prefeito e secretário não querem pagar multa por aglomeração

Da Redação

Dinalte Miranda/Diário de Cuiabá

Pastor - funeral

Milhares de pessoas participaram do funeral de líder evangélico: Prefeitura não evitou aglomeração em velório e enterro

A Prefeitura de Cuiabá entrou, na 1ª Vara da Fazenda Pública, contra a decisão que impôs multa de R$ 200 mil ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e de R$ 100 mil ao secretário de Ordem Pública, Leovaldo Sales, por descumprimento da decisão judicial que determinou a quarentena obrigatória.

Antes, EP alegou que está "a zero", não dispõe da quantia. Agora, sinaliza que vê brechas jurídicas.

Pinheiro e Salles alegam que não houve intimação pessoal sobre a cobrança.

Os dois foram acusados de omissão pelo juiz José Lindote.

As duas autoridades, apesar de alertadas, não evitaram a aglomeração, de mais de cinco mil pessoas, no sepultamento do pastor evangélico Sebastião de Souza, em 8 de julho.

No fim das contas, as multas serão pagas com dinheiro do contribuinte cuiabano.


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL