NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020
CIDADES
Terça-feira, 14 de Julho de 2020, 10h:20

PANDEMIA NO ESTADO

MT inicia semana com UTIs lotadas, queda de novos casos e mortes

No domingo, a taxa de ocupação de UTI chegou a 98,1%. Na segunda, registro foi de 89%

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
Divulgação
Em meio aos cuidados dispensados aos pacientes, a categoria ainda enfrenta do desafio de lutar pela valorização profissional

Há cerca de 20 dias, Mato Grosso registra lotação máxima nas Unidades de Terapia ntensiva (UTIs) destinadas ao atendimento de pacientes com a Covid-19.

No último domingo (12), a taxa de ocupação chegou a 98,1%, um dia depois de o Governo do Estado anunciar o funcionamento de mais 19 novas vagas de UTIs em hospitais estaduais, para o tratamento dos casos graves da doença.

Em contrapartida, o número de novos casos e óbitos apresentaram queda, após crescimento vertiginoso das notificações verificado no mesmo período.

De acordo com boletim epidemiológico datado do último dia 12, o Estado registrava 28.791 casos confirmados e 1.077 óbitos.

Também havia 260 pessoas internadas em UTI e 349 em enfermaria, ou seja, a taxa de ocupação estava em 98,1% e em 51,2%, respectivamente.

Vale lembrar que os números são atualizados diariamente sempre ao início da noite.

Na segunda-feira (13), a taxa de ocupação de UTI era de 89,8%.

Os novos leitos estão localizados no Hospital Estadual Santa Casa (dez leitos), em Cuiabá, e no Hospital Regional de Sinop (nove leitos), que fica a 503 quilômetros da Capital.

Na sexta-feira (10), ao anunciar a criação de mais 19 leitos, o Governo disse que a tendência, para esta semana, é que o percentual de ocupação nos leitos de terapia intensiva caia, pois há previsão de abertura de mais leitos de UTIs em cidades do interior.

Com esse incremento, por exemplo, o Estado passou a contar em seus hospitais com 138 leitos de UTIs.

Por outro lado, após registrar crescimento vertiginoso de casos confirmados e de óbitos, o Estado registrou queda nos números no  domingo.

Na quinta-feira (9), foram 1.617 novas confirmações e 40 óbitos. No dia seguinte (10), 1.240 novos infectados e 65 mortes, no sábado (11), foram 903 novas confirmações e outras 33 vítimas fatais e, no domingo (12), 31 mortes e 273 novos casos da Covid-19.

Na segunda-feira (13), foram 488 casos e 28 mortes.

PREVENÇÃO - Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus.

A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus.

Entre as medidas estão lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos e se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

Também é indicado evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas; evitar contato próximo com pessoas doentes, ficar em casa quando estiver doente; cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo; e limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

MEDICAMENTOS - Por conta da pandemia da Covid-19, existe uma grande procura e, consequente, falta de muitos medicamentos para tratamento da doença, além de uma excessiva elevação de todos os preços.

Por isso, o Governo Federal tem sido acionado há vários dias por todos os Estados para liberar processo de aquisição dos produtos.

O Ministério da Saúde  informou que realizou a distribuição de medicamentos usados para intubação, que estavam com estoques reduzidos em várias unidades da federação.

Para Mato Grosso, foram oito tipos de produtos, sendo cisatracúrio 2 mg/ml, dexmedetomidina de 100mcg/ml e de 50mg/ml, fentanila, citrato 0,05 mg/mL, midazolam 5 mg/ml, propofol 10 mg/ml emulsão injetável e rocurônio.

No país, foram 806 mil unidades já entregues em nível nacional para o atendimento emergencial das demandas da rede pública de estados e municípios.

O órgão de saúde federal reforça, ainda, que diante do panorama emergencial, a pasta tem realizado diariamente um levantamento dos estados e municípios que estão com os níveis de estoques zerados ou muito baixos, para fazer a distribuição dos remédios, atendendo emergencialmente as necessidades de todas as localidades. 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL