NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 08 de Agosto de 2020
CIDADES
Sexta-feira, 10 de Julho de 2020, 00h:00

COLAPSO

MT enfrenta carência de profissionais para abrir novas UTIs

Somado a carência de médicos e enfermeiros, Estado ainda passa pela dificuldade de aquisição de medicamentos

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

Com praticamente 100% de ocupação dos leitos pactuados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para atendimento aos pacientes com Covid-19, Mato Grosso trabalha para a abertura de novas vagas de terapia intensiva (UTIs). O governo do Estado garante que já conta com equipamentos necessários. A dificuldade, neste momento, tem sido contratar profissionais para atuar na linha de frente de tratamento dos pacientes com a doença.

Até ontem pela manhã, o sistema público contava com uma taxa de ocupação em UTIs de 97,1%, o que significa dizer que apenas sete leitos (2,9%) estavam disponíveis. Na rede particular, a lotação era de 100%. A intenção do governo do Estado é entregar mais 20 leitos de enfermaria e 94 UTIs em todas as regiões do Estado até o final deste mês, além de custear outras 159 UTIs que os municípios se comprometeram a abrir. O valor é de R$ 2 mil por leito por dia.

Porém, enfrenta dificuldades para contratar médicos e enfermeiros. “Equipamentos têm. Chegaram 50 respiradores. Agora, cadê o médico? Cadê o enfermeiro treinado para trabalhar na UTI, o fisioterapeuta. Estamos aqui com UTIs prontas, mas não tem médico para assumir. É um momento muito difícil”, relatou o governador Mauro Mendes em entrevista à Rádio Meridional de Sinop (503 quilômetros, ao norte de Cuiabá). Em Sinop, por exemplo, a expectativa é ampliar de 10 para 30 o número de UTIs destinadas ao tratamento da doença. “Estamos com UTIs prontas para colocar em funcionamento, mas não tem médico para assumir”, acrescentou.

Somado a esta carência de profissionais da área, o Estado ainda enfrenta a dificuldade na aquisição de medicamentos. “Nossa dificuldade agora é encontrar médicos, enfermeiros, empresas e medicamentos, que estão faltando no Brasil inteiro. É um momento de grande dificuldade”, reforçou detalhando ter feito diversas ligações representantes de laboratório farmacêuticos para adquirir os remédios e enviar para os municípios mato-grossenses.

O mesmo foi feito para os governadores São Paulo, João Dória, e de Goiás, Ronaldo Caiado. “Fiquei o dia inteiro ontem ligando para donos de empresas em Goiás, São Paulo, falei com governadores pedindo ajuda, falei com o Dória, o Caiado, tentando ajuda de tudo que é jeito para comprar medicamentos”, afirmou pedindo a compreensão da população.

Até a tarde da última quarta-feira (08), Mato Grosso registrava 24.804 infectados pela Covid-19, sendo 921 óbitos. Dentre os cinco municípios com maior número de casos da doença, estão Cuiabá (5.681), Várzea Grande (1.883), Rondonópolis (1.806), Sorriso (1.079), Lucas do Rio Verde (1.062). Do total de casos, 12.300 estavam em isolamento domiciliar e 10.832 recuperados. Um total de 239 pessoas estavam internadas em UTI e 317 em enfermaria. Isto é, a taxa de ocupação está em 97,1% para UTIs e em 53,4% para enfermarias.

Nos hospitalares particulares, a taxa de ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva (UTIs) específicos para tratamento Covid-19, nesta última quinta-feira (09), era de 100% da sua capacidade, em Cuiabá. Por meio de nota, o Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado (Sindessmat) informou que “as entidades privadas estão comprometidas com enfrentamento da pandemia.

Segundo o Sindessmat, desde o início, os estabelecimentos desenvolveram um plano de enfrentamento ao covid-19, focado na eficiência em gestão. “Dentre as principais ações estão treinamento contínuo das equipes; aumento na rigidez dos protocolos de segurança do paciente e ampliação dos leitos para atender a demanda por leitos hospitalares”.

CONTRATAÇÃO - A Secretaria de Estado de Saúde (es-MT) está com contratação emergencial de 24 médicos para atuar no Centro de Triagem e Diagnóstico da Covid-19, em Cuiabá. As inscrições serão realizadas exclusivamente pela internet por este link http://seplag.mt.gov.br/medicos . O edital de abertura do processo não estipulou data de encerramento do processo, mas essa informação, quando definida, será publicada no Diário Oficial.

É obrigatório diploma de conclusão do curso de medicina e inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM). Conforme consta descrito no edital, a remuneração paga ao médico, em escala de trabalho diurno de quatro horas, de segunda a sábado (14 plantões mensais), será de R$ 1 mil. O contrato dos profissionais é temporário e poderá ser rescindido de acordo com a necessidade do Estado. O resultado final e a convocação dos aprovados serão publicadas no Diário Oficial.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL