NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quarta-feira, 21 de Abril de 2021
CIDADES
Quarta-feira, 07 de Abril de 2021, 00h:00

ATIVIDADES PRESENCIAIS

Mendes avalia não ser momento para reabrir escolas

PL que torna atividades educacionais essenciais foi aprovado em primeira votação pela Assembleia Legislativa

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

O governador Mauro Mendes (DEM) sinalizou que pode vetar o projeto de lei (PL) 21/2021 aprovado, anteontem (5), em primeira votação pela Assembleia Legislativa (AL), que torna as atividades educacionais como serviços essenciais em Mato Grosso. Caso aprovada em segunda votação, a proposta segue para sanção ou não do governador.

“Gente, são mais 10 dias, 15 dias, um mês no máximo. Agora, uma criança que, por ventura, se contaminar na escola e levar para dentro de casa e um pai, um avô, avó, mãe perder a vida, isso não tem preço e não poderá ser recuperado nunca”, disse Mendes, ontem (6) em entrevista à Rádio CBN.

Ao pedir por mais paciência e tolerância à população mato-grossenses, Mendes alertou que crianças podem ser infectadas e contaminar parentes, especialmente, os idosos. Para ele, a situação vivenciada pelas famílias com crianças é difícil, mas que entende esse não ser o momento para reabertura das unidades escolares.

“Eu acho que as escolas são importantes sim, não tenho a menor dúvida disso. Mas, um pouquinho de paciência vai ajudar a superar esse momento difícil que o Brasil, que Mato Grosso está vivendo”, disse. Boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (Ses-MT) aponta que, neste ano, do total de casos confirmados, 5% dos pacientes estão na faixa etária do zero a 20 anos.

O PL é de autoria de Elizeu Nascimento (PSL) e libera que Estado e municípios possam permitir a volta das aulas presenciais nas redes pública e privada de ensino, “municipal, estadual e federal, relacionadas a educação infantil, ensino fundamental, nível médio, educação de jovens e adultos (EJA), ensino técnico, ensino superior e afins.

Na proposta, Nascimento argumenta que é "fato público e notório que a educação foi gravemente afetada pelas estratégias utilizadas para o enfrentamento da pandemia e as medidas de combate, muitas das vezes, negligenciaram a importância da atividade escolar e sem o mínimo de planejamento suspenderam as atividades, não levando em consideração ou balanceando o dano que acarretaria a paralisação das escolas".

Segundo o parlamentar, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o fechamento de colégios tem impactos negativos claros sobre a saúde infantil, educação e desenvolvimento dos estudantes, renda familiar e economia. Esses são um dos motivos que devem ser levados em consideração para que a atividade educacional seja classificada como essencial.

Em segunda votação, o deputado estadual Thiago Silva (MDB) pediu vistas do PL. Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep-MT), Valdeir Pereira, o PL do deputado bolsonarista, atende apenas à pressão de alguns segmentos do sistema privado de ensino, sem colocar como prioridade a vida das pessoas.

A defesa do sindicato é para que o retorno presencial se de somente após a vacinação em massa da população. “Nós, educadores, somos os primeiros a querer retornar para a sala de aula, no entanto, não podemos fazer isso num momento em que os casos de Covid e de mortes decorrentes dessa contaminação estão subindo exponencialmente. Todos os dias enterramos colegas que foram vitimados por essa doença. Obrigar esse retorno presencial das aulas, é o mesmo que colocar esses profissionais numa câmara de gás”, critica.

DADOS - Até a tarde de segunda-feira (4), Mato Grosso contabilizava 317.254 casos confirmados e 8.127 óbitos em decorrência do coronavírus. Do total, 13.159 estavam em isolamento domiciliar e 293.882 recuperados. Também havia 511 pessoas internadas em UTIs e 507 enfermarias, ambos serviços públicos. Isto é, a taxa de ocupação está em 97,52% para UTIs adulto e em 58% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (68.144), Rondonópolis (23.973), Várzea Grande (20.386), Sinop (16.060), Sorriso (11.779), Tangará da Serra (11.025), Lucas do Rio Verde (10.598), Primavera do Leste (9.273), Cáceres (6.880) e Alta Floresta (6.125).

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Você aprova a descentralização da vacinação contra a Covid?
Sim. Já passou da hora
Não. Era melhor só no Centro de Eventos
Ainda está a desejar
O certo é utilizar todos os postos de Saúde
PARCIAL