NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Quinta-feira, 06 de Agosto de 2020
CIDADES
Terça-feira, 13 de Março de 2018, 08h:44

CADASTUR

Mais de 50 hotéis estão irregulares

JOANICE DE DEUS
Da Reportagem
Um mapeamento do Ministério do Turismo (MTur) mostra que 52 de um total de 86 hotéis, localizados em Cuiabá e Várzea Grande, estão irregulares. O número representa 65% dos estabelecimentos e o principal problema encontrado é a falta de cadastro no sistema nacional do órgão federal, o Cadastur. Na lista, estão pequenas pousadas e até grandes hotéis. Desde ontem, fiscais do MTur encontram-se nas duas cidades para notificar os meios de hospedagem irregulares. A medida faz parte da “Operação Verão Legal”, que visitará todas as capitais brasileiras até abril próximo. “Várzea Grande foi ume pedido especial da Secretaria de Estado do Turismo por conta da proximidade com Cuiabá e o número grande de estabelecimentos irregularidades”, disse a coordenadora de Fiscalização do MTur, Larissa Peixoto. O objetivo da ação é sensibilizar os prestadores de serviço sobre a importância da formalização do setor e, consequentemente, garantir a ampliação do número de pessoas físicas e jurídicas no Cadastur. A operação já esteve em 11 capitais, a exemplo do Rio de Janeiro, Boa Vista, Maceió, João Pessoa, Palmas, Aracaju, Teresina, Fortaleza, Vitória, São Luís e Brasília. No Estado, serão fiscalizados ao longo desta semana 34 hotéis, que ficam na capital, e 18, em Várzea Grande. “A Secretaria de Turismo fez um mapeamento dos meios de hospedagens que contêm alguma irregularidade e a gente vai verificar. Vamos focar nos que estão irregulares”, frisou. Um dos hotéis visitados ontem, fica na Avenida Coronel Escolástico, no Centro, da capital. Por lá, os funcionários foram alertados sobre o que determina a legislação. “É uma ação importante e ajuda a garantir a qualidade na prestação do serviço”, disse o gerente Igor Ricardo Marques. Ele garante que a situação seria regularizada. Além da falta do cadastro, outro problema é a falta de canal de reclamação ou ouvidoria destinado ao cliente. “O cadastro é obrigatório em lei para meios de hospedagens, agência de turismo, transportadoras turísticas, guias de turismo, parques temáticos, organizadoras de eventos e acampamentos turísticos. No site www.cadastur3.turismo.gov.br o turista pode pesquisar os prestadores cadastrados na região, o que dá uma garantia a mais para o turista, pois é a certeza a mais de que o estabelecimento zela pelo que a norma e a lei estabelecem”, comentou. Segundo o MTur, o trabalho de fiscalização, iniciado em setembro de 2017, já tem surtido efeitos nos números do Cadastur. Em dezembro de 2017 foram identificados 64.591 cadastros, um crescimento de 14% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL