NA HORA
O jornal de Mato Grosso Facebook twitter youtube

Cuiabá MT, Sábado, 08 de Agosto de 2020
CIDADES
Quinta-feira, 09 de Julho de 2020, 00h:00

PANDEMIA

Justiça do Trabalho aplica multa de R$ 50 mil nos Correios

Da Reportagem

Após constatar o não cumprimento de testagem em massa dos trabalhadores que tiveram contato com colegas testados positivos para a Covid-19 dentro das unidades da empresa como havia sido determinado no fim de maio, a juíza Dayna Lannes Andrade, da 1ª vara do Trabalho de Cuiabá, aplicou multa de R$ 50 mil a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. “Não houve testagem em massa de todos os empregados como quer fazer crer os Correios”, disse a juíza em seu despacho.

O Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios, Telégrafos e Serviços Postais de Mato Grosso afirma que a Covid-19 é uma realidade dentro das unidades, centros de triagem e de distribuição da empresa. Já foram confirmados 33 casos, destes 27 estavam trabalhando e seis foram afastados. Os 27 estavam na ativa e só foram afastados quando os resultados dos exames deram positivos para a doença. Atualmente 34 trabalhadores aguardam os resultados dos exames.

Segundo o sindicato, a unidade dos Correios em Pontes e Lacerda está fechada, novamente, devido à confirmação de mais caso da Covid 19. Também houve reincidência no CDD do Coxipó, e na AC Couto Magalhães em Várzea Grande. O presidente do Sindicato, Edmar Leite, que mantinha até agora, sem descansar, uma luta em defesa dos trabalhadores e contra o novo coronavírus. Ele testou positivo e cumpre isolamento domiciliar depois de uma bateria de exames no Hospital São Mateus. Ainda, segundo o Sindicato, 280 trabalhadores estão expostos ao contágio pelo novo coronavírus por falta de ações preventivas da empresa.

AÇÃO - Após casos confirmados e suspeitos de Covid-19 entre trabalhadores, a Justiça do Trabalho em Mato Grosso determinou, no fim de maio, que a ECT suspendesse as atividades na unidade de Pontes e Lacerda e dos centros de distribuições de Barra do Garça e Vista Alegre, localizado em Cuiabá, até que passem por desinfecção e todos os trabalhadores sejam testados. A determinação passou a valer para todas as unidades dos Correios em Mato Grosso onde ocorressem casos da doença. A decisão foi dada pela justiça em ação civil pública ajuizada pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Correios, no Estado.

Conforme a decisão, os testes devem ser custeados pela empresa e, até que os resultados sejam entregues, os trabalhadores devem fazer trabalho remoto, sem prejuízo da remuneração. A magistrada explicou em sua decisão que os testes são necessários já que os empregados com teste positivo para Covid-19 trabalharam até a realização do exame, com livre circulação no ambiente de trabalho, sendo possível, portanto, que o vírus tenha sido transmitido. Até o fechamento desta matéria, a reportagem do Diário não obteve uma posição da empresa sobre o assunto.

 


Comentários







Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site. Clique aqui para denunciar um comentário.




ENQUETE
Como você vê as acusações entre Mauro Mendes e Emanuel Pinheiro sobre o caos na pandemia?
O governador é o culpado
O prefeito da Capital também tem culpa
Essa briga prejudica as ações de combate à Covid-19
É uma disputa político-eleitoral
PARCIAL